EXPOSIÇÃO SOBRE ‘A DIVINA COMÉDIA’ PODE SER VISTA NO PALÁCIO TIRADENTES

 

EXPOSIÇÃO SOBRE ‘A DIVINA COMÉDIA’ PODE SER VISTA NO PALÁCIO TIRADENTES

salão nobre foto symonemunay 20211123_120402

O Palácio Tiradentes está aberto das segundas aos sábados, sempre a partir das 10 horas, com a “Exposição Dante…Vale”, que usa a sátira dos mestres do carnaval de Viareggio para exaltar “A Divina Comédia”, uma das obras literárias mais famosas do mundo, de autoria do poeta italiano Dante Alighieri.

A obra do artista é retratada na exposição por 17 esboços originais de carros alegóricos que desfilaram em diferentes edições do carnaval de Viareggio, cidade italiana na região da Toscana, onde a festa popular tem 148 anos de tradição.

A mostra é uma iniciativa do Consulado-Geral da Itália no Rio com apoio da Subdiretoria-geral de Cultura da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) e ficará em cartaz até 15 de janeiro de 2022.

SERVIÇO:

O que: “Exposição Dante Vale”

Onde: Salão Nobre do Palácio Tiradentes. Rua Primeiro de Março, s/n – Praça XV – Centro. Tel:2588 1251

Quando: Até 15/01/2022. De segunda a sábado das 10h às 17h.

O acesso para cadeirantes poderá ser feito pela Rua Dom Manuel, s/n, atrás do palácio. Entrada gratuita.

Mais sobre a exposição: www.dantevale.com.br

Foto: Symone Munay

 

ALERJ ENTREGA PRÊMIO HELONEIDA STUDART À EXPOENTES DA CULTURA RIO

 

ALERJ ENTREGA PRÊMIO HELONEIDA STUDART À EXPOENTES DA CULTURA RIO

 

PREMIO HELONEIDA otacilio barbosa 3

A pluralidade foi o foco central da edição 2020/2021 do Diploma Heloneida Studart. Promovida pela Comissão de Cultura da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), a cerimônia reconheceu a relevância do trabalho de 44 agentes e entidades culturais na premiação realizada nesta segunda-feira (06/12), no plenário da Casa. A homenagem não acontecia desde 2019, por conta da pandemia de covid-19.

“Fomos às regiões ver e ouvir as demandas dos trabalhadores da Cultura e desde então pautamos o nosso trabalho com nosso Painel da Cultura. Vemos neste diploma, que abrange os anos 2020 e 2021, representantes de todas as regiões do estado, principalmente das periferias. Também temos muitos grupos de representação da nossa cultura popular, negra e indígena”, explicou o presidente da Comissão de Cultura, deputado Eliomar Coelho (PSol).

Ainda segundo Eliomar, a seleção dos projetos foi uma tarefa difícil. “Tivemos muitas dificuldades em fazer a seleção desses dois anos, uma vez que vimos artistas e agentes culturais se reinventaram e tomaram a frente nas ações de cidadania e solidariedade”, disse. Todos os vídeos dos projetos selecionados foram transmitidos ao longo do mês de novembro na programação da TV Alerj.

Para Thiago Mathias, um dos criadores do Festival de Cultura de Rua de Bangu, na Zona Oeste da cidade do Rio, o prêmio serve como combustível para a retomada das ocupações culturais. “Quando eu falo do Festival, eu falo de ocupação gratuita, democrática e principalmente afetiva dos espaços públicos. Essa pandemia serviu também para organizarmos a casa para melhorar e poder continuar firmes no propósito de ocupar as ruas e praças do subúrbio”, pontuou.

O vice-presidente da comissão, deputado Waldeck Carneiro (PT), destacou o Fundo Estadual de Cultura, que determina que 60% dos recursos públicos sejam distribuídos para programas desenvolvidos fora da capital fluminense. “Temos a preocupação de democratizar o acesso ao fundo público nas diferentes regiões, de maneira que a gente reconheça que no universo da Cultura tudo é central. É preciso que a política pública tenha essa visão e esse exercício na execução do orçamento público”, ressaltou.

Também compuseram a mesa os deputados Carlos Minc (PSB) e Luiz Paulo (Cidadania), ambos membros efetivos do colegiado.

 

Por: Juliana Mentzingen

Foto: Octacílio Barbosa

ALERJ ENTREGARÁ DIPLOMA HELONEIDA STUDART A 44 AGRACIADOS

 

ALERJ ENTREGARÁ DIPLOMA HELONEIDA STUDART A 44 AGRACIADOS

Eliomar Coelho Psol IMG-20211111-WA0056
Deputado Eliomar Coelho (PSol), comemorou o retorno da entrega do prêmio,

A Comissão de Cultura, da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), irá entregar o diploma Heloneida Studart de Cultura 2020/2021 a 44 agraciados, entre pessoas e entidades, nesta segunda-feira (06/12). A solenidade ocorrerá no Plenário do Edifício Lúcio Costa, às 17h. Criado em 2009, o diploma é um instrumento de reconhecimento e estímulo às boas práticas culturais no estado.

O presidente da Comissão de Cultura, deputado Eliomar Coelho (PSol), comemorou o retorno da entrega do prêmio, já que o mesmo não ocorreu no ano de 2020, por conta da pandemia de covid-19: “O Diploma Heloneida é um dos momentos do ano mais alegres e importantes para nós da Comissão de Cultura. É quando reconhecemos o trabalho dos agentes culturais do nosso estado! Esse ano está ainda mais especial, depois de 2 anos longe, poder aos poucos retomar as atividades, estarmos juntos, homenagear os que não sobreviveram, os que seguem na luta e esperançar novos momentos”.

Ex-deputada estadual no Rio de Janeiro, a escritora e jornalista Heloneida Studart foi eleita parlamentar seis vezes, e se destacou por sua atuação feminista. Antes de falecer, em 2007, ela foi nomeada diretora do Centro Cultural da Alerj e do Fórum de Desenvolvimento Estratégico.

Confira a lista de premiados:

1. Centro Espírita Nossa Senhora da Guia – CENSG

2. Rede Carioca de Rodas de Samba

3. Cultne na TV

4. Centro Brasileiro de Teatro para a Infância e Juventude – CBTIJ/ASSITEJ Brasil

5. Lira de Ouro

6. Secretaria Municipal de Cultura de Paraty- Prefeitura de Paraty

7. Folia Carioca

8. Casa da Tia Ciata

9. Slam Negritude

10. Bravo – Marcelo Branco Cruz

11. Quiprocó Filmes

12. Associação da Corporação Musical Pégasus Valenciano

13. Somos Moinhos de Vento

14. Margareth dos Anjos SANTOS e Outras

15. Ampamac – Associação de Moradores e Produtores Agrícola de Macuco

16. “Programa Extensão Cultural” de formação de platéia da Pró Reitoria de Extensão

do IFRJ – Capital;

17. Leo Bittencourt

18. Fundação D. João VI

19. Centro Cultural Teuto Friburguense

20. Caio

21. CIA. Cerne

22. Associação Coletivo Sala Preta

23. Grupo Casa Amarela

24. Festival de Música e Cultura de Rua de Bangu

25. Associação Cultural Grupo Afrolaje

26. Bip Bip

27. Associação Cultural Ilê Axé Omin

28. Projeto Escrevivendo a Liberdade

29. Centro Cultural Tradição Senzala de Capoeira

30. Centro de Tecnologia Educacional da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

(CTE/Uerj)

31. Cine Educação – Festival de Cinema e Educação

32. Ile Asé Iya Oju Omi

33. Magna Domingues

34. Mostra Audiovisual de Petrópolis

35. Cleivison Jesus de Carvalho

36. Instituto Unicirco Marcos Frota

37. Ana Elvira Utrini Vieira Constâncio

38. Elenco Negro (Pras Cabeças Produções e Reprodutora) – Fabrício Boliveira e

Gabriel Bortolini

39. Luiz Angelo da Silva – Ogã Bangbala

40. Comissão Estadual dos Gestores de Cultura – ComculturaRj

41. Grupo de União e Consciência Negra de Cachoeiras de Macacu

42. Leila Maria da Silva Barboza

43. Wildson de Andrade França

44. Alex Frechette

Por Comunicação/Alerj

Foto: Julia Passos

PRESIDENTE DA ALERJ É HOMENAGEADO PELO TRE-RJ

 

PRESIDENTE DA ALERJ É HOMENAGEADO PELO TRE-RJ

Ceciliano

 

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), foi um dos 19 homenageados pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) com a Medalha do Mérito Eleitoral, entregue nesta segunda-feira (29/11) em solenidade realizada no Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RJ). A condecoração é concedida desde 1997 aos profissionais que se destacam pelo relevante serviço prestado à Justiça Eleitoral ou à cultura jurídica. No caso de Ceciliano e do governador Cláudio Castro, também condecorado, o reconhecimento é devido à aprovação e sanção da Lei 9.412/21, que isenta mesários de taxas de concursos públicos para cargos da Administração Estadual.

Ceciliano dedicou a todo o Parlamento fluminense a homenagem que recebeu, conferindo aos demais deputados significativa participação nesse reconhecimento ao trabalho da Alerj, e voltou a destacar a importância da harmonia entre os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário para a retomada do desenvolvimento econômico do estado. Ele também aproveitou para destacar o trabalho realizado pelo TRE-RJ. “O Tribunal tem sido um guardião da legitimidade do processo eleitoral, assegurando uma das mais valiosas conquistas dos brasileiros: o direito democrático ao voto”, disse.

O governador Cláudio Castro também enalteceu o papel da Justiça Eleitoral para a consolidação da democracia brasileira. “Confiamos na Justiça Eleitoral como defensora da democracia, da vontade soberana do povo, atuando de maneira séria, limpa e célere”, disse. Ele também parabenizou a presidência do TRE-RJ pelo desafio de conduzir as últimas eleições em meio à pandemia.

 

Por: Rosayne Macedi 

Foto: Thiago Lontra 

DOE SANGUE: A PARTIR DESTA TERÇA-FEIRA NA ALERJ

DOE SANGUE: A PARTIR DESTA TERÇA-FEIRA NA ALERJ

 

DOAÇÃO SANGUE

Nesta terça-feira (30/11), a partir das 10 horas, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ) e o Hemorio realizam campanha conjunta pela doação de sangue.  A ação é aberta para servidores e ao público externo, na nova sede da ALERJ, no  Edifício Lúcio Costa, na Rua da Ajuda, 5 ,  Centro.  Cada doador pode salvar até quatro vidas. Faça a sua parte!

 

Para tirar dúvidas ligue no Disque Sangue no 0800 282 07008.

Por Comunicação/Alerj

‘O TABLADO’: ESCOLA DE TEATRO VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL DO RIO

 

ESCOLA DE TEATRO ‘O TABLADO’ VIRA PATRIMÔNIO CULTURAL DO RIO

 

O TABLADO TEATRO

 

A escola de teatro “O Tablado” é patrimônio cultural e imaterial do estado do Rio de Janeiro. É o que declara a Lei n° 9.479/21, sancionada nesta segunda-feira (29/11) pelo governador Cláudio Castro e publicada no Diário Oficial do Poder Executivo.

O Tablado é localizado no bairro Jardim Botânico, na Zona Sul da cidade do Rio, e foi fundado em 1951, pela escritora e dramaturga brasileira Maria Clara Machado. A escola já formou mais de cinco mil profissionais em artes cênicas.

Autor do projeto que deu origem à lei, o deputado Noel de Carvalho (PSDB) falou sobre a importância d’O Tablado: “O Tablado é um símbolo de resistência porque conseguiu consolidar-se como uma das marcas da nossa cultura, cada vez mais relegada a segundo plano. E temos a sorte de tê-lo em nosso estado”.

 

 

Por Comunicação Social

Foto: Acervo Tablado

ALERJ APROVA HINO PARA O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

ALERJ APROVA HINO PARA O DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

MANGUEIRA 2 ensaio _peq credito Leo Queroz

O samba-enredo da Estação Primeira de Mangueira de 1988 – “100 anos de liberdade, realidade ou ilusão” – pode se tornar o hino oficial das comemorações do dia 20 de novembro, data do aniversário da morte de Zumbi dos Palmares e Dia Nacional da Consciência Negra. É o que determina o projeto de lei 5.132/21, de autoria do deputado Chiquinho da Mangueira (PSC), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) aprovou na quinta-feira (18/11), em discussão única. Por ter recebido emendas durante a votação, a norma ainda precisa ser votada em Redação Final.

A canção, de autoria de Hélio Turco, Alvinho e Jurandir, garantiu à Mangueira o vice-campeonato do carnaval de 1988. Mesmo sendo aprovada, a norma determina que a adoção do samba como hino seja amplamente debatida com os movimentos negros.

“O samba representa bem em seus versos o que a data simboliza, o protagonismo negro na história do Brasil. A canção cita a Lei Áurea não como um ato de liberdade assinado pela princesa Isabel, já que não deu as garantias mínimas aos libertos, mas sim como uma reflexão crítica e atual que busca questionar se o ato assinado em 1888 não seria apenas uma ilusão. O objetivo é demonstrar a luta histórica e a resistência cotidiana dos negros em busca de igualdade e contra os preconceitos, mostrando Zumbi dos Palmares como o protagonista dessa luta por liberdade e igualdade que se busca até os dias de hoje”, ressaltou o parlamentar.

 

O dia da consciência negra

Neste sábado (20/11) é celebrado o feriado nacional do Dia da Consciência Negra, criado em 1970, por um grupo de negros no Rio Grande do Sul. A data de 20 de novembro foi escolhida para lembrar a morte de Zumbi dos Palmares, em 1695 – líder quilombola brasileiro que lutou pela libertação do seu povo e contra a escravidão até a morte. Neste dia as tropas do bandeirante paulista, Domingos Jorge Velho capturaram Zumbi e mataram-no, degolando a sua cabeça e expondo-a em praça pública.

De acordo com estudos historiográficos, estima-se que o Quilombo dos Palmares tenha durado cerca de 100 anos e abrigado entre 20 mil e 30 mil escravos. A sua localização territorial era na Serra da Barriga, atual estado de Alagoas, na região  Nordeste.

O idealizador do Dia Nacional da Consciência Negra foi o professor, poeta e pesquisador gaúcho Oliveira Silveira (1941-2009). Ele integrou o Grupo Palmares no período de 1971 a 1978 e foi o líder da campanha pelo reconhecimento do Dia da Consciência Negra. A ocasião é dedicada à reflexão sobre a inclusão e importância do negro na sociedade brasileira.

Confira a letra do samba-enredo “100 anos de liberdade, realidade ou ilusão”:

“Será…

Que já raiou a liberdade

Ou se foi tudo ilusão

Será…

Que a Lei Áurea tão sonhada

Há tanto tempo assinada

Não foi o fim da escravidão

Hoje dentro da realidade

Onde está a liberdade

Onde está que ninguém viu

Moço…

Não se esqueça que o negro também construiu

As riquezas do nosso Brasil

Pergunte ao criador

Quem pintou esta aquarela

Livre do açoite da senzala

Preso na miséria da favela

Sonhei….

Que Zumbi dos Palmares voltou

A tristeza do negro acabou

Foi uma nova redenção

Senhor..

Eis a luta do bem contra o mal

Que tanto sangue derramou

Contra o preconceito racial

O negro samba

Negro joga capoeira

Ele é o rei na verde e rosa da Mangueira”
 

Por Gustavo Natario e Symone Munay

Foto: Léo Queiroz/Site GREPM

“TERRA À VISTA E PÉ NA LUA” HOMENAGEIA ZIRALDO E OS 100 ANOS DO MHN

MOSTRA “TERRA À VISTA E PÉ NA LUA” HOMENAGEIA  ZIRALDO NOS 100 DO MHN

ZIRALDO TerraVista_PeLua_Ziraldo_MHN_Divulgacao

A partir de 20 de novembro até 20 de fevereiro de 2022 a exposição “Terra à vista e Pé na lua” abre as comemorações dos 100 anos do Museu Histórico Nacional (MHN) no próximo ano. O tema tem o foco voltado à aventura humana rumo ao desconhecido – pelo olhar visionário e atemporal, o cartunista e pintor Ziraldo. Multiartista cuja produção se faz presente no imaginário de brasileiros e brasileiras de todas as idades. A exposição, que também homenageia os 90 anos de Ziraldo em 2022, leva o visitante a livros, personagens, ideias, e objetos de trabalho, que marcam sua trajetória.

A curadoria e direção de arte são de Adriana Lins e Guto Lins, que contaram com o apoio e a participação do Instituto Ziraldo. A cenografia é assinada por Susana Lacevitz e Philppe Midani.

Para ter acesso às dependências do museu é obrigatório o uso de máscara,  assim como a apresentação do comprovante de vacinação contra a covid-19.

Serviço:

Exposição “Terra à vista e Pé na lua”

Endereço: Praça Marechal Âncora S/N – Centro – Rio de Janeiro.

De 20 de novembro a 20 de fevereiro de 2022. De quinta a sábado, das 10h às 16h.

A entrada é franca.

 

Por Symone Munay

Foto: Divulgação/MHN

 

FEIJOADA DA TIA SURICA É DECLARADA PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL

FEIJOADA DA TIA SURICA É DECLARADA PATRIMÔNIO CULTURAL IMATERIAL

 tia surica 220181207_140102

 

A feijoada da Tia Surica agora é Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. É o que determina a Lei 9.459 / 21, de autoria do deputado Dionísio Lins (Progressista), sancionada pelo governador em exercício, André Ceciliano, publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (18/11).

Matriarca da Portela e integrante da velha guarda da escola tradicional de samba, Tia Surica marcou época após 17 anos fazendo a sua famosa feijoada, considerada por aqueles que já tiveram a oportunidade de degustá-la como a melhor do Rio. O evento se tornou um grande ponto de sambistas e admiradores desse prato.

Em sua justificativa, o autor da medida destaca que a feijoada e sua matriarca, preserva a música e toda a cultura do Rio de Janeiro. “Reconhecer o evento que é essa Feijoada, com F maiúsculo, como parte da história e cultura do Rio, é uma maneira de manter a memória viva da tradição do encontro dos apreciadores do samba e da feijoada fluminense“, afirma o deputado Dionísio Lins ( Progressista).

“Nesse dia em que completo 81 anos, não poderia receber um presente melhor do que ter minha feijoada considerada um patrimônio do Estado do Rio. Fico muito lisonjeada de receber essa homenagem ”, comemora Tia Surica, que é sambista, cantora e intérprete de samba enredo. Ela conta que o apelido foi dado por sua avó quando ainda era pequena. Nascida em Madureira, aos quatro anos, ela já desfilava pela Portela ao lado dos pais.

A tradição da feijoada começou com Tia Vicentina, uma das matriarcas da Portela escola de samba, e foi resgatada por Surica. Com a ajuda de colaboradoras, a equipe deu conta do trabalho que só prosperou no decorrer dos anos.

Por Comunicação/Alerj

Foto: Symone Munay