PALÁCIO TIRADENTES RECEBE O FUNK CARIOCA COM BUCHECHA

bochecha2_25_08_2022-120220825_19501720220825_18065820220825_202301De plenário cheio e animacão geral o Palácio Tiradentes recebeu nesta quinta-feira (25/08), o cantor Buchecha no projeto “Viva o Compositor Brasileiro”. Seu  espetáculo foi aberto pelo compositor e cantor O Nilton que encantou o público.

Integrantes do fã-clube oficial do cantor marcaram presença no “show dancante” com muito funk- melody e algumas pérolas da MPB e que contou com palinha de vários funkeiros amigos de Buchecha que enceraram a grande festa.

Carla Cristina e Giseli Cavalheiros moradores de Mesquita prestigiaram o artista na companhia das filhas. Carla, mãe de Mariah de 7 anos, revelou grande admiração pelo funkeiro desde o início de sua carreira e acabou ganhando um amigo da família. “Sempre fui fã do trabalho do Buchecha e de sua postura e carinho com o público. Tenho até hoje a lembrança, uma foto, ele beijando a minha barriga quando estava grávida se seis meses de minha filha. Sempre que posso gosto de estar presente nos shows, como fazia no início da trajetória da extinta dupla Claudinho e Buchecha”.

O cantor falou da importância de trazer o ritmo do funk para um local como o Palácio Tiradentes. “Eu trabalhei na Praça XV durante muito tempo e nunca imaginei que esse local se tornaria palco para eu estar cantando. É um prazer ter a oportunidade de fazer esse funk alegre que tanto representa o trabalhador e ainda num espaço tão representantivo para o povo brasileiro que é o Palácio, a antiga  casa das leis, ” destacou ele.

O Nilton, é um artista independente, natural da cidade de Mendes, e que vem lançando seu trabalho nas diversas plataformas digitais. Ele disse ter ficado surpreendido com a energia do público que lotou o espaço. “É algo totalmente diferente do que estou acostumado, no começo bateu um nervoso, mas depois da primeira música a recepção do público me deixou a vontade”.

“Viva o Compositor Brasileiro” é fruto de uma parceria da Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (FUNARJ) e a Subdiretoria-Geral de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio (ALERJ). Além de Buchecha, Yassir Chediak e Wagner Tiso, se apresentarão no Palácio Tiradentes artistas de repertório variado como Ivan Lins, Kleiton & Kledir e Isabela Taviani.

 

Fotos: Octacilio Barbosa e Symone Munay

 

ALUNOS DA OFICINA DE RESTAURO DO PALÁCIO TIRADENTES VISITAM O PALÁCIO CAPANEMA

17082022_103034WhatsApp Image 2022-08-17 at 10.27.34

Alunos da Oficina-Escola de Conservação e Restauro do Palácio Tiradentes participaram, nesta terça-feira (16/08), de uma visita técnica ao Palácio Gustavo Capanema, marco da arquitetura moderna que abrigou o antigo Ministério da Educação e da Saúde. O grupo pôde conhecer detalhes do restauro do edifício histórico, o estilo do mobiliário e fazer uma comparação com o conjunto da antiga sede do Legislativo fluminense, principalmente, no que se refere à proposta de adequação do espaço para a utilização proposta.

“O objetivo é que os alunos tomem conhecimento do que é feito no serviço de restauro. Aqui no Palácio Capanema eles poderão fazer uma avaliação de como a restauração dos mobiliários se insere no contexto de um edifício tão emblemático como o Palácio Capanema”, comentou a coordenadora da Oficina-Escola de Conservação e Restauro, arquiteta Simone Algebaile.

O prédio, localizado na Rua da Imprensa, no Centro do Rio, possui 16 andares, e é considerado um dos marcos da arquitetura moderna do País. Foi construído entre 1936 e 1945, projetado pelos arquitetos Oscar Niemeyer, Lúcio Costa, Affonso Eduardo Reidy, Carlos Leão, Ernani Vasconcellos e Jorge Machado Moreira, sob supervisão do arquiteto franco-suíço Le Corbusier.

“Nessa oficina, tratamos da conservação dos restauros de metais e mobiliários. A proposta é fazer a formação dos servidores da Alerj e outras instituições públicas e valorizar o conhecimento dos mestres de ofício e, secundariamente, ajudar na requalificação do Palácio Tiradentes”, complementou Simone.

A oficina é promovida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), por meio da Superintendência da Curadoria do Palácio Tiradentes e pela Escola do Legislativo. Ela envolve 60 servidores e funcionários de empresas parceiras no trabalho de revitalização que permitirá ao prédio reabrir ao público como novo equipamento cultural – a Casa da Democracia.

“Uma experiência enriquecedora. Vimos aqui o que aprendemos no curso e colocamos em prática. Eu já conhecia o prédio antes desse processo de reforma, então para mim está sendo muito proveitoso”, afirmou o funcionário da Subdiretoria-Geral de Cultura da Alerj, Sandro Cortes.

Por Ana Abreu

Foto: Octacílio Barbosa

YASSIR CHEDIAK EMOCIONA A PLATEIA NO PALÁCIO TIRADENTES COM MÚSICA DE VIOLA

Nem a chuva fina e a queda na temperatura tiraram o ânimo das mais de 150 pessoas que prestigiaram a apresentação de Yassir Chediak na segunda apresentação do projeto “Viva o Compositor Brasileiro”, na noite desta quinta-feira (11/8). Com sua viola caipira, o cantor, compositor e ator emocionou a plateia que ocupou as cadeiras do antigo plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ).

O repertório, executado ao lado do também violeiro Marcellus Meirelles, reuniu releituras de clássicos brasileiros, instrumentais e composições próprias, como ‘Amanheceu, peguei a viola’, composição sua em parceria com Renato Teixeira, e outras como “Felicidade” e “O Sorriso Mais Bonito”. Entre clássicos do cancioneiro popular, trouxe canções como ‘A Majestade, o Sabiá’, de Roberta Miranda, ‘Vide Vida Marvada’, de Rolando Boldrini, e ‘O Rio de Piracicaba’, de Tião Carreiro. ‘Beija-Flor’, de Geraldo Azevedo e Elba Ramalho, fez a plateia cantar junto, enquanto a longa letra de ‘Romance no Deserto’, uma versão de Fagner para a composição de Bob Dylan, de 1987, impressionou a todos.

“É um prazer estar aqui nesse espaço tão incrível, que agora se abre para a música, o teatro, as artes”, disse o carioca, que mora atualmente na Serra da Cantareira, interior de São Paulo. Na semana do Dia dos Pais, Yassir Chediak ainda levou o filho, Matheus, de 9 anos, para assistir o espetáculo, e aproveitou diversos momentos da apresentação para falar sobre a importância da valorização da autêntica música de viola.

Segundo o músico, a viola caipira, com dez cordas, é um “instrumento mágico” e o caipira, “aquele que caminha ao longo do rio”. Ele também tocou e cantou a bela canção ‘A Lenda do Pescador’, letra de sua autoria que homenageia a caiçara, “aquele que caminha ao longo do mar”. Ainda na apresentação, Chediak emocionou a plateia ao contar a vez em que, incentivado por Tião Carreiro, considerado o ‘rei da viola’, foi até um cemitério invocar a força espiritual de um antigo violeiro para ajudá-lo na arte de dominar o instrumento.

O espetáculo foi aberto por Luiz Barbalho, um cantor e compositor de Paracambi, na Baixada Fluminense. “Estou emocionando, me sentindo um artista de verdade”, disse ele, acostumado a tocar em bares e restaurantes, ao agradecer a oportunidade de tocar na Casa. Barbalho arrancou aplausos da plateia com uma música em homenagem especial à Baixada. Ele contou que tem quatro composições assinadas em coautoria com o presidente da Alerj, André Ceciliano, que foi prefeito de sua cidade. Uma delas, ‘Me deixa ficar só’, que foi escrita em um guardanapo, fez questão de tocar e cantar em sua curta apresentação, que emocionou a todos.

O subdiretor-geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas, anunciou que no dia 25 de agosto, é será a vez de o funk melody de Buchecha (da dupla Claudinho e Buchecha) ‘invadir’ o Plenário Barbosa Lima Sobrinho. O show será precedido por O Nilton, às 19h. O espaço tem capacidade para 200 pessoas. A entrada é gratuita, com distribuição de senhas a partir das 18h. Aberta em junho passado com um show do compositor, maestro e pianista Wagner Tiso, a edição de 2022 do projeto prevê ainda apresentações de artistas como Isabella Taviani, Kleiton e Kledir, Carlos Dafé, Ceiça Moreno, entre outros, com trabalhos inéditos. O projeto “Viva o Compositor Brasileiro” é coordenado pela Subdiretoria-Geral de Cultura da Alerj em parceria com a Funarj.

SHOW DO CANTOR YASSIR CHEDIAK NO PALÁCIO TIRADENTES NESTA QUINTA-FEIRA

Screenshot_20220809-194134_Chrome

Na próxima quinta-feira (11/08), às 19 horas, será realizada mais uma edição do projeto “Viva o Compositor Brasileiro” sob a coordenação da Subdiretoria-Geral de Cultura da ALERJ.  Dessa vez o espetáculo ficará por conta do violeiro, cantor e compositor Yassir Chediak, no plenário Barbosa Lima Sobrinho, do Palácio Tiradentes.

Artista plural, Yassir Chediak faz da tradicional viola de 10 cordas um instrumento para sonoridades contemporâneas que extrapolam seu uso habitual. Violeiro virtuoso, compositor e cantor, o músico atua ainda como produtor de trilhas, apresentador e ator.

A apresentação de Yassir será precedida pelo show de Luiz Barbalho, um cantor e compositor que extrai a matéria prima de suas canções autorais da tradição musical brasileira.

Para o subdiretor-geral de Cultura, Nelson Freitas, as obras do artista aliam requinte à simplicidade com letras que expressam a beleza dos modos de vida do povo brasileiro. “A força de sua linha melódica é preenchida por uma literatura afetuosa, carregada de muita emoção”, destacou Freitas.

A entrada é franca com distribuição de senhas a partir das 18 horas.

Serviço:

Projeto “Viva o Compositor Brasileiro”

Quando: Dia 11/08, às 19 horas

Onde: Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Março,  s/n – Praça  XV

 

Foto: Divulgação

 

HARPISTA WALTER MORATO ENCERRA FESTIVAL NO PALÁCIO TIRADENES

IMG-20220801-WA0049

Na noite desta segunda-feira (01/08), o harpista argentino Walter Morato fechou a última noite de apresentações da “Série Música e Democracia da 17º edição do RioHarpFestival”, que ocorreu no Palácio Tiradentes na Praça XV.

Com uma carreira de 40 anos no mundo da música, Morato já se apresentou em países importantes da América e da Europa. Nesse concerto, em especial, o artista fala sobre a expectativa em se apresentar na “Casa da Democracia”. “É uma sensação maravilhosa estar se apresentando em lugar onde eu passava de ônibus e me sentia encantado. E o público brasileiro é muito acolhedor, dessa forma fico à vontade em misturar a diversidade de ritmos”.
O concerto contou ainda com uma surpresa especial, o casal de dançarinos Tatielle Marques e Hanniel Marques que apresentaram danças do folclore argentino como gato, chacarera e zamba.

Apreciadora das harpas, a aposentada Maria Orleides se diz encantada pelas apresentações. “Sou uma entusiasta por harpas, é a terceira vez que venho acompanhar o concerto aqui no Palácio Tiradentes e é sempre uma sensação de muita emoção. É muito lindo ver a representação de diferentes países por artistas tão talentosos”.

O Subdiretor-Geral de Cultura da ALERJ (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro), Nelson Freitas, destacou a importância do evento. “É uma satisfação enorme ter a presença de todos aqui. Agradecer profundamente a FUNARJ pelo apoio. Esse projeto foi importante para reunir representantes de diferentes países em nosso Museu Vivo”.

O evento é uma parceria realizada pela Subsecretária-Geral de Cultura da ALERJ, FUNARJ e o projeto Música no Museu.

 

Por André Luís Arruda