SERESTA COM JULIANA MAIA ENCERRA TEMPORADA 2022 DO ‘VIVA O COMPOSITOR BRASILEIRO’

Juliana 04112022_180832juliana

Uma noite dedicada à seresta (03/11) marcou o encerramento do projeto “Viva o compositor Brasileiro”, uma realização da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Subdiretoria-Geral de Cultura, e da Fundação Anita Mantuano de Artes do Rio de Janeiro (Funarj) que trouxe grandes nomes e novas revelações da Música Popular Brasileira ao palco do Palácio Tiradentes desde julho. O espetáculo dessa vez ficou por conta de ‘Serenatas na Janela’, com Juliana Maia, cantora e compositora de Conservatória, distrito de Valença, na Região do Médio Paraíba, conhecido como a ‘capital mundial da seresta’.

“É uma alegria estar aqui num lugar tão importante para a história do nosso estado. Eu me sentindo em casa num lugar tão majestoso”, disse Juliana, após abrir o show com a clássica canção ‘Rosa’, do mestre do choro Pixinguinha. A seresteira também destacou a relevância do projeto: “Exaltar o compositor, em tempos de tantos cantores, é um ato de resistência e bondade. É o momento de festejarmos o quanto nossa música é vanguardista, é potente e com tanta diversidade”.

‘Viva o Compositor Brasileiro’ contou também com apresentações de artistas como Wagner Tiso, Yassir Chediak, Buchecha, Ceiça Moreno, Isabella Taviani, Kleiton e Kledir, Carlos Dafé, Ivan Lins, Fundo de Quintal e Ronaldinho do Cavaquinho.

Juliana apresentou algumas pérolas dos seresteiros que atravessam gerações, como as composições “Noite cheia de estrelas” (Cândido das Neves); “Risque” (Ary Barroso); “Eu sonhei que estavas tão linda” (Lamartine Babo e Francisco Mattoso) e “Nunca” (Lupicínio Rodrigues); “Último Desejo” (Noel Rosa), “Negue” (Adelino Moreira) e “A Noite do Meu Bem” (Dolores Duran). Ela também apresentou ‘Pensando em Ti’, de Erivelto Martins, lembrando que o compositor era nascido em Barra do Piraí, no Médio Paraíba. Trouxe ainda ‘A Sorrir’, de Cartola, e, encerrando o espetáculo, apresentou duas clássicas de Gonzaguinha – ‘Sangrando’ e ‘O Que é, O Que é’, que encerrou a noite.

O violonista e compositor mineiro Guilherme Pimenta fez o show de abertura apresentando duas músicas de sua autoria, lançadas em seu recente CD – o bolero ‘Palo e Tiano’ e o ‘Forró de Três Amigos’ – e também a icônica ‘Naquela Mesa’, canção eternizada na voz de Nelson Gonçalves, criada por Sérgio Bittencourt para homenagear seu pai, Jacob do Bandolim. Com seu violino, o músico também acompanhou Juliana, junto com Mateus Martins, Mateus Maciel e Helbert Santos. “Conheci Guilherme na Rádio Roquette Pinto. Ele também é professor da UFRJ, excelente arranjador e nos tornamos amigos”, elogiou a intérprete.

Mais sobre Juliana Maia

Juliana Maia também apresentou ao público composições de sua autoria, como ‘Sonhar’, uma música infantil criada em parceria com Eduardo Branco para seu projeto ‘Juju e a Locomotiva Encantada’, que deu origem a um livro e a um musical.

Juliana, que começou aos 8 anos estudando piano e violão, frequentou a Faculdade de Música e formou-se em canto pela UFRJ. Agitadora cultural, criou em 2014 o Teatro Musical Sonora, bem no centro histórico de Conservatória.

Por Ascom/ALERJ

ALERJ RECEBE EXPOSIÇÃO DE ANIMADORES CULTURAIS

EXPO 40 anos de animação

A exposição “40 anos da Animação Cultural” poderá ser visitada até final de novembro no segundo andar do edifício sede da Assembleia Legislativa do Rio  de Janeiro (ALERJ), na Rua da Ajuda, 5, Centro. São 20 obras, entre esculturas, telas e fotografias, todas produzidas por animadores culturais e alunos de diferentes Centros Integrados de Educação Pública (CIEPs) que fizeram uma homenagem ao centenário do antropólogo e sociólogo Darcy Ribeiro (1922-1997).

Em sua memória foi confeccionado por alunos do “CIEP 172 Nelson Rodrigues” um mural contando toda sua trajetória de professor a secretário e ministro de educação (1962-1964), além destacar seus feitos mais importantes: como as escolas em tempo integral e o “Sambódromo”, local onde desfilam as agremiações cariocas.

A animadora cultural e pedagoga Sandra Trindade de 68 anos, moradora de Bangu, na zona Oeste, que prestigiou a mostra falou sobre a importância da categoria na formação dos estudantes. “O país precisa ver o nosso trabalho, essas artes são produzidas através das nossas oficinas, espaços esses que são essenciais na inserção dos alunos menos favorecidos no mundo artístico. A arte é para todos, e é para isso que trabalhamos”,  disse ela.

Serviço:

O que: Exposição “40 anos da Animação Cultural”

Onde: Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ).  Rua da Ajuda, Nº 5, Centro – 2° andar

Quando: de 25 de outubro a 25 de novembro

De 10h às 17h da tarde.

 

Por André Arruda

OFICINA-ESCOLA DO PALÁCIO TIRADENTES REALIZA WORKSHOP DE MARMORINO

geral_ThiagoLontra_26_04_2022-09047 (2)A Curadoria do Palácio Tiradentes, antiga sede da Assembleia Legislativa do Estado Rio de Janeiro  (ALERJ), na Praça XV, Centro, realizará através da Oficina-Escola de Conservação e Restauro, o workshop de marmorino, uma técnica que reproduz a estética do mármore na produção e reforma de peças decorativas.

O evento acontecerá nos dias 9, 10 e 11 de novembro. São 30 vagas divididas em duas turmas, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Informações pelo número (21) 2588 1000.

 

Foto: Thiago Lontra