“Alerj ao Pôr do Sol” tem repertório de Gonzagão a Jon Bon Jovi

CARTAZ Alerj ao Pôr do Sol

“Alerj ao Pôr do Sol” tem repertório de Gonzagão a Jon Bon Jovi, nesta quinta-feira

 

O projeto ‘Alerj ao Pôr do Sol’ terá continuidade nesta quinta-feira (03/10), com apresentação de sucessos da música brasileira e internacional executados pela Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros (CBMERJ), às 17h30, nas escadarias do Palácio Tiradentes, à Rua Primeiro de Março, s/nº.

Uma iniciativa da Subdiretoria de Cultural da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o concerto desta semana promete ser um grande espetáculo. O repertório vai da brasilidade dos compositores e músicos Anacleto de Medeiros e Luiz Gonzaga ao americano Jon Bon Jovi – um dos maiores ícones do rock mundial.

A banda que  contará com a presença de 30 músicos e estará sob a batuta do maestro Aurimar Bento Donato.

Novas performances serão realizadas sempre nas primeiras quintas-feiras de cada mês na escadaria do Tiradentes e estarão abertas ao público em geral.

O acesso é gratuito e a classificação, livre.

 

Serviço O que: Projeto Alerj ao Pôr do Sol 

Onde: Palácio Tiradentes: Rua Primeiro de Marco, s/nº – Praça XV

Hora: 17:30h

 

 

Por Symone Munay

Exposição Ojú Olhos poderá ser vista no Palácio Tiradentes

MENINO Expo Ojú Ohos

Mostra estará aberta ao público a partir desta segunda-feira 

Quem visitar a exposição “Ojú Olhos”, do fotógrafo Raimundo Cláudio Santa Rosa, não saberá de que lugar é a criança retratada, a menos que vire a foto. Essa é uma das imagens que fazem parte da mostra que chega ao Palácio Tiradentes nesta segunda-feira (02/09), trazendo diferentes olhares infantis em duas regiões continentais: África e Brasil. Vinte fotos poderão ser vistas até o dia 08 de setembro, no Salão Nobre, a partir das 18 horas.

“Os registros de Raimundo transcendem a arte de uma imagem, eles nos conduzem à construção de uma história, dá vida à imagem e constrói cada personagem. Em meio à riqueza estética numa combinação sutil de cores, ele nos oferece um registro único, como um convite à coautoria de sua arte, disse o subdiretor-geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas.

Santa Rosa é um dos fundadores dos Afoxés Agbara Dudu e Alafim Aiyê, que mantêm a tradição da cultura negra em nosso estado, há quase 50 anos, sempre pautado na defesa das raízes africanas.“A gente quando observa o olhar de uma criança, mesmo que esteja do outro lado oceano, acaba confundindo com uma criança negra das comunidades quilombolas aqui no Brasil. Precisei socializar o que vi nas minhas andanças.

 Elas acabam falando a mesma língua”, destacou ele.No mesmo dia, o Santa Rosa será homenageado com a entrega da Medalha Tiradentes, a mais alta honraria concedida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Iniciativa da deputada Tia Ju (PRB).

Trajetória de Santa Rosa

Santa Rosa nasceu em Salvador (BA), há 57 anos, tendo sido o primeiro negro a assumir um cargo de direção na Light Serviços de Eletricidade S.A, empresa onde trabalha desde a década de 1980.Na empresa, desenvolveu o Programa de Normalização das Comunidades de Baixa Renda e implementou o Programa Light Recicla nos municípios do Estado, entre outros feitos.Santa Rosa foi Secretário de Esporte, Lazer, Turismo e Cultura do município de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, de 1992 a 1995. Em decorrência de sua trajetória, recebeu a Medalha Pedro Ernesto, maior honraria da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, e o Prêmio Afrocolombianidade, concedido pelo governo da Colômbia, em 2018.

Servico:Exposição: “Ojú Olhos”

Local: Salão Nobre do Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Março, s/n – Centro

Data: de 02 a 08 de setembro

Horário: 10h

Quinteto de Jazz 193 abre projeto Alerj ao Pôr do Sol

quinteto bombeiro

Foto: Divulgação CBMERJ

As escadarias do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), vai receber nesta quinta-feira (29/08), às 17h30, o Quinteto de Jazz 193 do Corpo de Bombeiros (CBMERJ), na primeira edição do projeto Alerj ao Por Sol.
A ideia de criar a parceria numa agenda mensal surgiu em julho, depois da apresentação da Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros, reunindo grande público em frente a escadaria do palácio, nas comemorações dos 163 anos da instituição.
A partir de então, por solicitação do presidente da Alerj, o deputado André Ceciliano (PT), o projeto foi criado pela Subdiretora-geral de Cultura, para ser realizado em todas as primeiras quintas-feiras de cada mês.

“Como no mês de setembro teremos os tradicionais desfiles cívicos, não será possível realizar o espetáculo na primeira quinta-feira. Porém, achamos que seria fundamental contemplar o público com o espetáculo nesta última semana de agosto, no retorno pra casa, com música de excelência e qualidade”, disse o subdiretor Nelson Freitas.

O concerto desta semana promete ser um grande espetáculo com músicos: Levy (clarinete e saxfone); Claudio (bateria ); José Maria (guitarra e saxofone) ; Diogénes (contrabaixo) e Wander (trompete), todos do corpo de subtenentes da corporação..

O acesso é gratuito e a classificação é livre.

Serviço
Evento: Alerj ao Por do Sol – Quinteto de Jazz 193
Dia: 29/08, às 17h30
Local: Escadaria do Palácio Tiradentes
Endereço: Rua Primeiro de Março, s/nº – Praça XV

Palácio Tiradentes recebe exposição sobre 163 anos do Corpo de Bombeiros

 

Solenidade para comemorar os 163 anos da corporação acontecerá na quinta-feira

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) recebe, a partir desta terça-feira (09/07), uma exposição temporária sobre o legado histórico do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ). No último dia dois de julho, a corporação completou 163 anos de história, sendo a mais antiga do Brasil, fundada pelo Imperador Dom Pedro II. A mostra ficará em exposição até o dia 18 de julho, no Salão Nobre do Palácio Tiradentes. A entrada é franca. O espaço pode ser visitado de segunda a sábado, das 10h às 17h. A iniciativa foi da deputada Tia Ju (PRB) em parceria com a subdiretoria-geral de Cultura da Alerj.

Entre os materiais expostos ao público estão os primeiros equipamentos utilizados pelo Corpo de Bombeiros, como uma bomba manual usada pela corporação a partir de 1856. A exposição também conta com o primeiro hidrante da cidade do Rio, de 1879, além de uma caixa avisadora de incêndio e de uma estação telegráfica e telefônica, que eram utilizadas para recebimento das ocorrências. Os equipamentos modernos para salvamento em mar, serviços de socorro e manuseio de produtos perigosos também ficarão expostos na Alerj. O acervo disponível faz parte do Museu Histórico do Corpo de Bombeiros.

Solenidade

Na próxima quinta-feira (11/07), também acontecerá uma solenidade na Alerj para homenagear o Corpo de Bombeiros. Na ocasião, haverá uma apresentação da banda sinfônica da corporação na escadaria do Palácio Tiradentes. O evento está previsto para começar às 17h.

Serviço:

Exposição: “Legado Histórico do CBMERJ”.

Horário: Segunda a sábado, das 10h às 17h.

Endereço: Rua Primeiro de Março, s/nº- Praça Quinze. Tel: (21) 2588-1251.

O acesso para cadeirantes é feito pela Rua Dom Manuel, s/nº.

Entrada Franca.

exposição bombeiros   banda sinfonica bombeiros

Cartilha infanto-juvenil e contadores história estão entre as inovações da visita guiada

 

A ideia de aprimorar a visita guiada às dependências de todo o Palácio Tiradentes tem como ponto de partida adaptar o roteiro da exposição permanente Palácio Tiradentes: Lugar de memória do parlamento brasileiro ao universo infanto-juvenil. “Aplicaremos  uma linguagem que se aproxime mais das aulas de História que são ministradas nas escola às crianças e adolescentes. Precisamos falar para e com esse público.”  A proposta é do subdiretor geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas, que se reuniu na quarta-feira (20/03), com os todos os funcionários do setor e os 20 monitores, todos estagiários,  que atuam como guias bilíngues na visitação ao palácio.

Músico e professor, nascido e criado em Nova Iguaçu, na Baixada fluminense, Freitas assumiu o cargo no dia 15 de fevereiro com uma agenda repleta de projetos.  O ex-presidente da Fundação de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj) e ex-secretário de Cultura de Nova Iguaçu (2003-2005) fez questão de lembrar que quando jovem tentou afastar a música e as artes de suas frentes de trabalho, mas não tem sucesso.

Como produtor musical, projetos como o Quinta Oito e Meia – com shows de MPB; Som na Praça, em Nilópolis e Paracambi Literário –  evento de artes e literatura levam sua assinatura.  “Nunca deixei de compor. Enquanto componho, produzo. Produzo quando componho. Tentei provar pra mim que poderia viver sem ser da arte, mas não deu certo”, concluiu.

Quis o destino que Nelson assumisse o setor Cultura da Alerj, no ano de mudanças, ano em que a sede do Poder legislativo será transferida para o prédio da Rua da Ajuda, nº 5. O que está previsto para o mês de outubro. Dessa forma, o palácio ficará destinado penas aos visitantes, e o plenário Brabosa Lima Sobrinho,  aos eventos protocolares e sócio-culturais.

”O Palácio Tiradentes está às vésperas de se transformar num “museu vivo”, a grande expectativa da presidência da Casa. Para que isso aconteça, estamos dispostos a trabalhar para transformá-lo em um espaço de excelência em entretenimento e cultura. Acho fundamental sempre poder surpreender o outro, positivamente, e trabalharemos para isso”, ressaltou ele.

Depois de ouvir a demanda de vários integrantes da equipe, a pauta de trabalho foi a reformulação e modernização dos painéis  expositores da visita guiada estão na lista de das prioridades. Outra iniciativa, a necessidade imediata de inventário dos bens culturais e artísticos, como as obras de artes e mobiliário. “Queremos que as esculturas, os quadros e toda a mobília façam parte da mostra permanente”, destacou.

Publicações

A produção de duas publicações, uma destinada aos professores e outra com narrativa infantojuvenil, despertou a atenção e a interação dos guias. Com a publicação de uma literatura específica, Freitas explicou que, novos monitores poderão surgir para a atividade de contadores de histórias.

Segundo ele, será um trato especial de linguagem, nos moldes de um conto, sem perder a essência da histórica.

Somando-se às inovações, o projeto de retorno da itinerância das exposições nas  escolas e demais municípios, fazem parte dos esforços  para ampliar  o número de visitantes e conhecedores do Palácio Tiradentes, sua importância arquitetônica e histórica, para o Rio de Janeiro e para o país.

 

 

Por Symone Munay