PM lança projeto especial de segurança para o “Caminhos do Brasil Memória”

A Polícia Militar abraçou o “Caminhos do Brasil Memória”, promovido pela subdiretoria-geral de Cultura da Assembleia Legislativa. A partir deste sábado (2/11), será dado início a um projeto especial de patrulhamento na área compreendida pelos 11 museus e centros culturais que fazem parte do projeto. Policiais do 5º BPM ficarão de prontidão em cinco pontos estratégicos entre os equipamentos culturais, reforçando o efetivo do Centro Presente.

“Isto mostra um acolhimento do estado aos anseios e desejos da população na busca de vínculos com sua memória histórica. Afinal de contas, a gente quer comida, diversão e arte. E entretenimento com produção de conhecimento é fundamental para a vida humana”, afirmou o subdiretor-geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas.

Segundo o presidente da Assembleia, deputado André Ceciliano (PT), a Casa está disponibilizando recursos para o Estado contratar mais 500 policiais militares pelo Regime Adicional de Serviço (RAS). Parte deste efetivo vai contribuir para o aumento da segurança no circuito cultural do “Caminhos do Brasil Memória” a partir da semana que vem. “Queremos que este projeto tenha início e meio, mas que não termine. É um exemplo de parceria que pode ser replicada e dar certo no estado”, afirmou o deputado André Ceciliano.

Lançado no dia 19/11,  o “Caminhos do Brasil Memória” já mostra a que veio. No último sábado, a visitação ao Centro Cultural Correios dobrou. O espaço que costumava receber entre mil e mil e duzentas pessoas registrou a entrada de 3.030 visitantes. E neste sábado deverá bater recorde de público com a terceira edição do Festival Día de los Muertos. São esperadas mais de dez mil pessoas na festa que reunirá gastronomia, apresentações artísticas, música, artesanato e venda de roupas tradicionais.

Confira abaixo os destaques da programação de alguns dos museus participantes do projeto para este fim de semana:

Palácio Tiradentes

Grupo Chorando Baixinho

Formado desde 1998, o Grupo de Choro Chorando Baixinho, da Escola de Música Villa-Lobos/ FUNARJ é composto por alunos e colaboradores (ex-alunos) da Escola. Com um vasto repertório, abrange uma grande parte dos compositores brasileiros que se dedicaram a esse gênero musical. Possui duas formações: uma formação mais completa, clássica, com dez integrantes; e outra formação menor, regional, com oito integrantes.  O Chorando Baixinho é um dos Grupos Artísticos da Escola mais solicitados para apresentações.

Centro Cultural Correios

Festival Día de los Muertos

A programação, das 11h às 17h, terá apresentações de diversos artistas brasileiros que têm encontrado no México inspiração para suas obras, incluindo o grupo Mango Mambo e o bloco Bésame Mucho. E este ano teremos a participação especial do reconhecido cantor e compositor mexicano Armando Rosas. O festival será decorado inteiramente com ‘papel picado’ trazido do México: bandeiras artesanais de cores que se referem a aspectos e personagens da tradição. E como um elemento protagonista da decoração, terá a montagem de uma Ofrenda de Día de Muertos: um altar oferecido aos que retornam, inspirado nos altares colocados em lares mexicanos. A Ofrenda estará integrada por comida, flores, bebidas e outros elementos simbólicos. Este será o ponto de encontro dos participantes ao Festival com quem nos visitaram esse dia desde o Mictlan.

Museu Histórico Nacional

Projeto Bonde da História

Abrindo a programação de novembro, o projeto Bonde da História do MHN tem atividades aos sábados e domingos do mês. Neste primeiro sábado (2), às 14h,  o projeto convida os públicos jovem e adulto para um passeio pela história do Brasil através de peças de destaque em nossa exposição de longa duração. A visita mediada “10 objetos que contam nossa a história” apresenta itens como almofariz, forma de pão de açúcar, a mesa da Constituição de 1891, entre outros objetos de grande interesse histórico. 

Paço Imperial

Catilina – Angelo Venosa

Com curadoria e texto crítico de Daniela Name, Catilina, escultura e exposição, fazem referência a Lucius Sergius Catilina, militar e senador célebre por ter tentado dar um golpe na República Romana. Cícero  criou uma série de discursos, hoje conhecidos como Catilinarias, para atacar Catilina e, assim, evitar a ruína de Roma. A frase Quosque tandem abutere, Catilina, patientina nostra? (Algo como “quão longe você vai abusar da nossa paciência, Catilina?”) é até hoje uma espécie de paradigma para o aprendizado da retórica e parece ecoar na escultura criada por Venosa.

Jazz, MPB e World Music nas escadarias da Alerj

“ALERJ ao Pôr do Sol” já é parte da programação do fim de tarde no Centro. Em mais uma edição do projeto, o Quinteto de Jazz 193, banda formada por oficiais do Corpo de Bombeiros, fará uma única apresentação na escadaria do Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa, no próximo dia sete de novembro (07/11), às 17h30, misturando clássicos e sucessos populares brasileiros e internacionais.

O quinteto é formado pelos músicos Levy (clarinete e saxofone), Claudio (bateria); José Maria (guitarra e saxofone); Diógenes (contrabaixo) e Wander (trompete), todos do corpo de subtenentes da corporação.

A ideia da parceria entre a Alerj e o Corpo de Bombeiros surgiu em julho depois de uma apresentação da Banda Sinfônica da corporação, que reuniu um grande público na escadaria do palácio para celebrar os 163 anos da instituição. Por solicitação do presidente da Alerj, o deputado André Ceciliano (PT), o projeto “Alerj ao Pôr do Sol” foi criado pela subdiretora-geral de Cultura,  passando assim a fazer parte do cardápio de atrações do “Centro Histórico” da cidade.

“É uma enorme satisfação conferir que a cada edição o projeto atrai mais e mais pessoas que, no caminho para casa, têm a oportunidade de ouvir música de excelência e qualidade estética e artística”, afirmou o subdiretor de Cultura da Alerj, Nelson Freitas.

O evento é gratuito e aberto à população.

Serviço:

Alerj ao pôr do sol – Quinteto de Jazz 193

Dia 07/11 às 17h30

Escadaria do Palácio Tiradentes

Rua Primeiro de Março S/N – Praça XV

Fim de semana no Palácio (26 e 27/10)

Devido à manutenção no sistema de telefonia da Alerj neste fim de semana, excepcionalmente estaremos sem contato telefônico até a próxima segunda-feira. A programação do Projeto Caminhos do Brasil Memória para este sábado, assim como as visitas guiadas, estão  mantidas normalmente. Confira abaixo os destaques da programação de alguns dos museus participantes do projeto para este fim de semana:

Palácio Tiradentes

Bitucanto – uma homenagem a Milton Nascimento

Repleto de inserções cênicas em homenagem a um dos principais ícones da música brasileira, o cantor e compositor Milton Nascimento, Bitucanto conta com músicas selecionadas entre as obras-primas da música mineira, arranjadas, com extrema originalidade, para as vozes dos 30 integrantes do Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos. Neste sábado (26/10), a partir das 11h no Saguão Getúlio Vargas, no acesso principal do Palácio Tiradentes.

Igreja da Irmandade da Santa Cruz dos Militares

A Orquestra da Uni-Rio apresentará obras de Mozart, Schubert, Larsson e Anderson Alves, com regência de Anderson Alvez e o solista Josemar Souza no trombone, neste domingo a partir das 11h.

Museu Histórico Nacional

A exposição “10 Objetos que contam a História do Brasil” é o resultado de um trabalho dos educadores do museu que tiveram de selecionar 10 objetos para contar nossa história, entre os mais de 200.000 que compõem o acervo do museu. 

Museu da Justiça

Absurdos insustentáveis – A Arte como Agente Transformador na Preservação do Meio Ambiente

A exposição reúne obras criadas pelo artista Alexandre Pinhel a partir de resíduos sólidos e tem a curadoria de Isabela Francisco. O autor usa métodos químicos, mecânicos e térmicos para misturar resíduos de diversas tecnologias de impressão 3D com resíduos tradicionais de plástico, vidro, madeira e metal. Essas obras ocultam do observador as matérias primas originais, fazendo com que este se surpreenda ao saber do que são feitas.

Da pedra ao palácio – Um percurso interativo ao encontro da Justiça  

Conduzida por arte-educadores, a visita apresenta à população – de forma lúdica, dinâmica e interativa – a arquitetura, a história e as funções do Antigo Palácio da Justiça do Rio de Janeiro. De espaço em espaço, a pedra é esculpida em jogos com os visitantes estimulando a reflexão sobre o significado da Justiça e da sua importância na vida em sociedade. No percurso aos diversos salões e tribunais históricos os visitantes têm a chance de participar de um julgamento teatralizado no Salão Histórico do I Tribunal do Júri e conhecer como se dá o funcionamento de um júri.

Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica

Através de fotografias, plantas e vídeo, o Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER) oferece ao visitante a oportunidade de conhecer aras imagens do período da construção, da inauguração e do entorno da antiga Estação de Hidroaviões do Aeroporto Santos-Dumont.

Paço Imperial

Ai Weiwei

Primeira exposição do artista chinês Ai Weiwei no Rio de Janeiro. Com cerca de 70 obras, entre peças inéditas feitas aqui e outras consagradas, a mostra, que possui projeto curatorial de Marcelo Dantas, ficará em cartaz no Terreiro do Paço Imperial e no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB).

Angelo Venosa

Angelo Venosa foi um dos poucos artistas surgidos na “Geração 80” que dedicou-se a escultura. Segundo o artista, o processo veio de uma construção pessoal com a arte, já que desde jovem pendia para um universo mais lúdico e experimental. Na exposição no Paço Imperial o artista apresenta diversas esculturas, em sua maioria, recentes.

 

Canções de Milton Nascimento no Caminhos do Brasil-Memória

WhatsApp Image 2019-10-23 at 13.39.27

 

Depois da estreia com quase dois mil passaportes distribuídos na semana passada, o projeto “Caminhos do Brasil Memória” retorna neste sábado com mais atrações para trazer cariocas e turistas de volta ao Centro da cidade. No Saguão Getúlio Vargas, bem no acesso principal do Palácio Tiradentes, o Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos apresentará a partir das 11h canções do espetáculo Bitucanto – uma homenagem a Milton Nascimento. 

Repleto de inserções cênicas em homenagem a um dos principais ícones da música brasileira, o cantor e compositor Milton Nascimento, Bitucanto conta com músicas selecionadas entre as obras-primas da música mineira, arranjadas, com extrema originalidade, para as vozes dos 30 integrantes do Coro de Câmara da Escola de Música Villa-Lobos. Não faltam canções emblemáticas, como “Maria, Maria”, “Cais”, “Caçador de mim”, “Travessia”, “Nos bailes da vida”, ao lado de outras menos conhecidas do grande público, porém não menos fascinantes. Todos os cantores-atores do grupo têm sólida formação artística e aliam a competência técnica e o virtuosismo que faz de Bituca um artista raro. A música se apresenta alicerçada por um contundente trabalho de movimento no palco, em que as vozes e os corpos se unem, envolvendo e emocionando e contagiando o público em geral e os fãs de Milton em particular.

O “Caminhos do Brasil Memória – Centro Histórico Praça XV”,  é um projeto de valorização da memória e da identidade cultural brasileira que reúne 11 museus e vai desenhar novas cores e histórias para o Estado do Rio de Janeiro. Além do roteiro, foi lançado também o passaporte especial que oferece gratuidades e descontos em vários estabelecimentos.

O “Passaporte” pode ser retirado pelos visitantes no Palácio Tiradentes e nos demais 10 museus e centros culturais participantes do projeto. Além do desconto de 45% no Edifício Garagem Menezes Cortes aos fins de semana, o “Passaporte” oferece a oportunidade de uma experiência especial. Após visitar cada um dos 11 museus do Projeto, o portador deverá carimbar seu passaporte e uma vez que todos os espaços estejam visitados, poderá participar de uma experiência no Navio-Museu Bauru, no Submarino-Museu Riachuelo, na Nau dos Descobrimentos, no Helicóptero Rei dos Mares ou no carro de combate Cascavel, atrações do Espaço Cultural da Marinha. O “Passaporte” devidamente carimbado garante ainda 50% de desconto na entrada do AquaRio.

Serviço:

Caminhos do Brasil Memória – Centro Histórico Praça XV

Sábado das 10h às 17h

Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Março, s/n – Centro

Horário dos Museus participantes:

Palácio Tiradentes –10h às 16h

Paço Imperial – 12h às 18h

Museu Naval – 12h às 17h

Museu da Justiça (Centro Cultural do Poder Judiciário) – Sábados das 10h às 17h

Museu da Imagem e do Som (MIS) – 12h às 17h

Museu Histórico Nacional (MHN) – 13h às 17h

Instituto Cultural da Aeronáutica (INCAER) – 12h às 17h

Centro Cultural Correios (CCC) – 12h às 19h

Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) – 09h às 20h

Casa França-Brasil – 10h às 20h

Igreja Santa Cruz dos Militares – 10h às 16h

 

Caminhos do Brasil-Memória: O projeto que vai “desenhar” as novas cores e histórias do Rio de Janeiro

id visual      mapa com museus
A partir do dia 19 de outubro (sábado), às 10 horas, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vai lançar o projeto Caminhos do Brasil-Memória – Centro Histórico Praça XV que, na oportunidade, será também lançado o Passaporte do projeto que dará gratuidade em todos os museus do Centro Histórico Praça XV, que participam do projeto. O “Caminhos do Brasil-Memória” é um circuito que reúne 11 museus e vai desenhar as novas cores e histórias do Rio de Janeiro.
O projeto Caminhos do Brasil-Memória, coordenado e realizado pela Subdiretoria-Geral de Cultura da Alerj, vem construir um olhar sobre os diferentes ciclos históricos e culturais da região da Praça XV e adjacências, numa confluência de interesses em comum que reúne ao Palácio Tiradentes o Paço Imperial, Museu Naval, Museu da Justiça, Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica (INCAER) , Centro Cultural Correios (CCC), Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), Casa França-Brasil, Igreja Santa Cruz dos Militares, Museu da Imagem e do Som (MIS) e Museu Histórico Nacional (MHN).
Com o passaporte, os visitantes terão desconto de 50% no Edifício Garagem Menezes Cortes aos fins de semana. Após cada visita, deverão requisitar o carimbo em todas as instituições culturais. Uma vez que todos os espaços estejam visitados, o portador ganhará o direito de vivenciar uma experiência marinheira no Navio-Museu Bauru; no Submarino-Museu Riachuelo; na Nau dos Descobrimentos; o Helicóptero Rei dos Mares e no Carro de Combate Cascavel, atrações no Espaço Cultural da Marinha. E também será contemplado com 50% de desconto no AquaRio.
O Presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), destaca a riqueza dos museus e centros culturais da região. “O Palácio Tiradentes está no centro de um importante circuito histórico e agora vai funcionar como um articulador de toda essa diversidade cultural, o que é uma vocação desse local, berço da democracia brasileira”, destacou.
O Subdiretor-geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas, acredita que o projeto vai ampliar o acesso do público a todos os museus envolvidos. “Essa ação, com certeza, vai contribuir diretamente para fortalecer a formação humana e o sentimento de pertencimento da população, além de influenciar, diretamente, na ampliação da geração de renda e postos de trabalho, gerando divisas para o desenvolvimento econômico da cidade e, por conseguinte, do Estado do Rio de Janeiro”, completou.
Em a parceria com a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro e do Governo do Estado, questões relacionadas à segurança, acessibilidade e mobilidade, por exemplo, estão sendo trabalhadas com vistas a proporcionar benefícios ao cidadão fluminense e aos turistas. O projeto recebeu apoio da Comlurb, Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Rio), Rioluz, Guarda Municipal, Centro Presente, Polícia Militar e Superintendência do Centro da Prefeitura do Rio, dentre outros.

 

Serviço:

Onde: Escadaria do Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Março, s/nº – Centro

Quando: Dia 19 outubro

Hora: 10h – Abertura Oficial do Projeto Caminhos do Brasil-Memória

Exposição: Palácio Tiradentes Lugar de Memória do Parlamento Brasileiro

Horário dos Museus:

Palácio Tiradentes – Terça-feira a Sábado das 10h às 17h e Domingos e Feriados das 12h às 17h

Paço Imperial – 12h às 18h

Museu Naval – 12h às 17h

Museu da Justiça (Centro Cultural do Poder Judiciário) – Sábados das 10h às 17h

Museu da Imagem e do Som (MIS) – 12h às 17h

Museu Histórico Nacional (MHN) – 13h às 17h

Instituto Cultural da Aeronáutica (INCAER) – 12h às 17h

Centro Cultural Correios (CCC) – 12h às 19h

Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) – 09h às 20h

Casa França-Brasil – 10h às 20h

Igreja Santa Cruz dos Militares – 10h às 16h

 

 

 

 

 

 

 

Por Symone Munay

Palácio Tiradentes abre as portas no sábado para visitação

O Palácio Tiradentes guarda parte da história que começou nas primeiras décadas do século XVII. Atual sede do Legislativo fluminense, está localizado na região próxima ao cais da Rua Dom Manuel, hoje a Praça XV, onde se firmava como o mais importante centro político e financeiro do Brasil- Colônia.

Alguns dos capítulos dessa História do país e do estado do Rio estão na exposição Palácio Tiradentes – Lugar de Memória do Parlamento Brasileiro – aberta ao público de segunda – feira a sábado com guias bilíngues, inclusive nos feriados.

Trata-se de um tour pelo palácio, inaugurado em 1926, com arquitetura em estilo eclético, incluindo o Plenário Barbosa Lima Sobrinho, a biblioteca, a Sala de Imprensa Tim Lopes e as galerias destinadas ao povo.

 

Serviço:

Palácio Tiradentes: Rua Primeiro de Março, s/nº – Praça XV

Dias: Seg a sexta, das 10h às 17h. Sábado e feriados, das 12h às 17h. Escolas e grupos acima de 15 pessoas devem agendar pelo telefone: 2588 – 1251. Acesso para cadeirantes pela Rua Dom Manuel, s/nº. GRÁTIS.

 

Por Symone Munay

_Palácio Tiradentes

Morre Ruth de Souza

20190729_080122
Neste domingo, 28 de julho de 2019, nossa Cultura perdeu Ruth de Souza, a primeira atriz brasileira indicada a um prêmio internacional – em 1954 ganhou o troféu “Leão de Ouro” como melhor atriz no filme Sinhá Moça – Festival de Veneza.
A atriz deixou um enorme legado para a dramaturgia brasileira, com relevantes trabalhos realizados no Teatro, Cinema e Telenovelas.
Fora dos palcos, apesar da idade avançada, Ruth também atuava junto à diretoria do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversões do Estado do Rio de Janeiro(SATED-RJ), para defender os interesses da categoria.
Nós, da Subdiretoria-Geral  de Cultura da Alerj, lamentamos essa grande perda e expressamos aqui nossos sentimentos a todos os familiares e amigos dessa grande brasileira.
Viva Ruth de Souza!

Grupo de trabalho do “Caminhos do Brasil-Memória” querem mais segurança para o Centro da cidade

reuniao30.05

Reforço na segurança, iluminação pública adequada e melhorias na acessibilidade e mobilidade urbana, são os aspectos que mais preocupam os diretores dos equipamentos culturais situados no entorno da Praça XV, no Centro do Rio. Os tópicos fizeram parte do encontro realizado nesta quinta-feira (30/05), com representantes do projeto Caminhos do Brasil-Memória, de autoria do subdiretor-geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas em parceria com o Museu Histórico Nacional, Museu Naval, Museu da Justiça e o Paço Imperial.

A reunião foi aberta pelo presidente da Alerj, deputado André Ceciliano (PT), na sala de leitura da biblioteca do Palácio Tiradentes, cuja finalidade é traçar alternativas para as principais demandas com vistas a ampliar a visitação aos museus no centro da cidade, essencialmente à noite e aos finais de semana. “Muito gratificante tê-los reunidos com um objetivo nobre, que é o de proporcionar o que for de melhor na qualidade de vida para o povo fluminense”, disse o deputado.

 Para Freitas, com essas questões resolvidas e uma agenda cultural permanente e integrada, a região não só passará a receber um público maior como poderá contribuir para o desenvolvimento econômico do estado.

“Iremos produzir atividades artístico-culturais em conjunto e individualmente, para ampliar o valor ao projeto, de forma a atrair uma mais significativa vertente de público aos espaços. E também iremos criar uma visita guiada para conduzir fazer o “circuito histórico dos cinco museus”, disse ele.

O diretor do Museu da República, Sergio Sydow admitiu que as dificuldades são iguais às instituições do entorno, e que por isso, a interação é fundamental. “Estamos dispostos a abraçar este projeto assim como participar de toda e qualquer alternativa que surja para melhor operarmos. Precisamos trazer o público para dentro de nossos museus e espaços culturais”, destacou.

 “Juntos poderemos formar um novo público, pois a maioria dos visitantes, nos fins de semana, é formada por turistas. Queremos mais mobilidade e segurança para o carioca e o fluminense. Mas juntos chegaremos lá”, destacou a coordenadora técnica do Museu Histórico Nacional, Vânia Bonelli.

“Temos um modelo de carros elétricos que funciona bem em alguns eventos e que futuramente poderemos articular para esta região. No entanto, é necessário um estudo técnico e de viabilidade para esta região”, sugeriu o subinspetor da Guarda Municipal, Henrique Gonçalves.

Segundo,  o subdiretor de Cultura, a próxima etapa de trabalho do Caminhos do Brasil-Memória consistirá nos planos setoriais. As próximas reuniões serão setoriais e ampliadas para a participação da Fecomercio, Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Firjan, Supervia, Metrô, VLT e CCR Barcas.

Também participaram do encontro o coordenador de diretoria da Comlurb,  Henrique Damásio; o coordenadores CET Rio, Marcelo Viana e Mauro Cesar; representantes do Museu da Justiça, Sergio Ricardo; Museu Naval , Almirante José Carlos Matias e Capitão de Corveta Patrícia Miquelini; da Polícia Militar, Coronel Tobias; o Paço Imperial,  Lúcia Helena e a  RioLuz, a engenheira Lucia Cajati.

Por Symone Munay

Representantes do projeto Caminhos do Brasil-Memória se reúnem na Alerj

Será realizada na próxima quinta-feira, (30/05), às 14:30h, na sala de leitura da biblioteca do Palácio Tiradentes uma reunião com 20 representantes de aparelhos culturais e da área de segurança pública para discutir as principais demandas para ampliar a visitação cultural no centro da cidade do Rio de Janeiro, essencialmente, aos finais de semana.

A iniciativa é do Subdiretor–Geral de Cultura da Casa, Nelson Freitas, autor do projeto Caminhos do Brasil-Memória com a parceria do Museu Histórico Nacional, Museu Naval, Museu da Justiça e o Paço Imperial.

 “O projeto vai contribuir, de forma significativa, para elevar os sentimentos de auto-estima e de pertencimento da população, de forma criativa, aliando sempre entretenimento à produção de conhecimento”, destacou Freitas.

 Também participarão do encontro integrantes da Polícia Militar, do Programa Centro Presente, CET-Rio e RioLuz.

Por Symone Munay

Palácio Tiradentes completa 93 anos

O Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), completou 93 anos nesta segunda-feira (06/05). Inaugurado em 1926, ele é um dos mais importantes marcos da arquitetura brasileira, ícone da ‘Belle Époque’ carioca. As suas dependências e corredores guardam uma grande parte da memória política do estado e do país. Até 1960 todos os presidentes da República, de Washington Luiz a Juscelino Kubitschek, tomaram posse no salão nobre do palácio e do alto de sua principal varanda discursavam para o povo, que lotava as escadarias. Como parte das comemorações dessa importante data, o quase centenário palácio ganhou um moderno sistema de iluminação artística, com o objetivo de transformar o local em um novo ponto turístico noturno. A ideia é preservar e perpetuar o prédio como dos principais locais de visitação para o turista no Rio.

Além de valorizar a beleza arquitetônica do palácio, considerado um patrimônio inestimável da cidade do Rio, a nova iluminação também beneficia a questão da segurança no seu entorno. O novo sistema contempla as ruas laterais do palácio, proporcionando maior proteção às centenas de pessoas que passam por essas vias no período da noite. A homenagem é uma iniciativa da presidência da Alerj, juntamente com a diretoria-geral da Casa. A arquitetura do Palácio Tiradentes lembra muito o Grand Palais de Paris, o prédio foi projetado em estilo eclético por Archimedes Memória e Francisco Couchet.

“Estamos resgatando o projeto de iluminacão da Light Designer Francesa, que fez a Torre Eiffel e o Museu do Louvre. O palácio merece essa revitalização por sua grande importância”, justifica o diretor-geral da Alerj, Wagner Victer. A revitalização paisagística do palácio implementada agora foi feita pela empresa que já cuida da manutenção elétrica da assembleia; ou seja, o serviço não teve qualquer custo adicional.

A subdiretoria-geral de Cultural da Casa também vem trabalhando para celebrar essa data emblemática. Recentemente, realizou visita guiada ao palácio com a participação especial do cantor e ator Toni Garrido. Ele, aliás, atuará no espetáculo musical ‘Um Palácio de Modinhas’, que faz parte do projeto ‘Alerj Para a Nossa Memória’, que será encenado todas as segundas-feiras dos meses de junho, julho e agosto, com entrada gratuita.

Palácio repleto de históriasEm 1960, ano da transferência da capital do Rio para Brasília, o Palácio Tiradentes passou a abrigar a Assembleia Legislativa do Estado da Guanabara (ALEG). Quinze anos depois, com a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro surgiu a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O terreno onde foi construído é considerado um sítio histórico. No Brasil Colônia ali ficava o prédio conhecido como Cadeia Velha. No andar de cima, trabalhavam os vereadores. No de baixo, ficava a cadeia. Por isso, o local ficou popularmente conhecido como Cadeia Velha.

Foi lá onde o alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, ficou preso, durante três anos antes de ser enforcado no dia 21 de abril de 1792. O antigo prédio foi demolido em 1922 para dar lugar à construção do palácio.

Visitação gratuita

Mais detalhes dessa rica história do Brasil e do Palácio Tiradentes podem ser conferidos, diariamente, por meio da visita guiada, incluindo sábados, domingos e feriados. Essas visitas podem ser marcadas no site da Alerj. É possível, também, fazer um tour virtual pelo palácio, com imagens em 360 graus.
Para ver o vídeo sobre todas as fases da história do palácio, vale a pena acessar este link.

Por Comunicação Social