Artistas participam do projeto Música para Nossa Memória da Alerj

reuniaoToniGarrido

 

“Vamos produzir um espetáculo que fará parte das atividades permanentes do Palácio Tiradentes”. A afirmação é do Subdiretor de Cultura da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Nelson Freitas, durante a primeira reunião de trabalho (24/04) com atores e músicos que participarão do projeto “Música para Nossa Memória – Modinha do Império”, que acontecerá às segundas-feiras de junho a agosto na Alerj.

Com letras assinadas pelos poetas que integraram o movimento da Inconfidência Mineira, o espetáculo vai contar com o ator e cantor Toni Garrido e a harpista Cristina Braga, com direção musical de José Maria Braga e direção cênica do ator Amir Haddad, todos presentes neste primeiro encontro.

“Com as artes, ampliamos a construção do olhar, ampliamos o exercício da cidadania no espaço público Palácio Tiradentes com um tema – Justiça Social e Liberdade –  que nos remete à contemporaneidade”, destacou Freitas.

“Queremos resgatar textos e experiências do povo comum que viveu naquela época. Quem sabe, descobrir talvez, as relações dos inconfidentes com os escravos. Afinal, o movimento dos inconfidentes foi a luta do povo brasileiro pela liberdade, contra a opressão do governo português. Porque não?!”, destacou o cantor Toni Garrido.

No musical ele interpretará canções que marcaram uma época da música brasileira, canções que deram origem aos diferentes ritmos, incluindo as Modinhas do Império que encantavam o público com textos de poetas que integraram o movimento social que ocorreu em Minas Gerais, no ano de 1789,  entre eles, Claudio Manoel da Costa, Thomas Antonio Gonzaga e Alvarenga Peixoto.

“Poemas e canções, ambos serão cuidadosamente alternados, de uma forma que possamos proporcionar ao público a História e arte com beleza e cronologia”, ressaltou Haddad, o diretor do espetáculo,

Segundo Freitas, o grupo vai trabalhar nos próximo dias na escolha do repertório, “ o que requer uma grande pesquisa, depois agendaremos novo encontro”, concluiu.

O projeto Música para Nossa Memória – Modinhas do Império foi criado para celebrar os 230 Anos da Inconfidência Mineira e visa proporcionar aos participantes, ao público em geral,  uma informação musical única e diferenciada, aliada ao entretenimento e conhecimento.

 

Por Symone Munay

Ator Toni Garrido participa de visita guiada do Palácio Tiradentes

O ator e compositor Toni Garrido fez uma visita especial (17/05) ao Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), acompanhado do Subdiretor-Geral de Cultura, Nelson Freitas. O tour teve duração de uma hora e contou também com os guias da exposição permanente: Palácio Tiradentes Lugar de Memória do parlamento brasileiro.

Durante o passeio, foi possível fazer um tour pela arquitetura eclética do Palácio Tiradentes assim como conhecer o plenário Barbosa Lima Sobrinho; a biblioteca e as salas das audiências públicas, além de suas peças de artes e mobília.

O artista será atração do espetáculo musical “Modinhas Imperiais”, com letras assinadas pelos poetas da Inconfidência Mineira, que acontecerá às segundas-feiras a partir de agosto na Alerj.  Além de Toni, o musical contará também com a harpista Cristina Braga e direção de José Maria Braga ( musical) e Amir Haddad (cênica).

Outubro Rosa: Controle do câncer de mama é tema de exposição na Alerj

Com 21 painéis, a exposição “A Mulher e o Câncer de Mama no Brasil” aborda aspectos históricos, médicos e culturais do câncer de mama, com foco nas ações para o seu controle. A mostra foi inaugurada nesta terça-feira (10/10) no Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), e ficará disponível até 19 de outubro.

A exposição, que integra a campanha Outubro Rosa na Casa, é o resultado do projeto “História do Câncer – atores, cenários e políticas públicas”, uma parceria entre o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e a Casa de Oswaldo Cruz, uma das unidades da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Temos que chamar a atenção das mulheres, porque o câncer de mama é o tipo de câncer que mais mata mulheres no mundo. Porém, ele pode ser prevenido e combatido, então a gente precisa lutar por isso”, ressaltou a deputada Enfermeira Rejane (PCdoB), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher. “A ideia é compartilhar o tema com o público mesclando arte e campanha de conscientização”, disse a subdiretora de Cultura da Alerj, Fernanda Figueiredo.

De acordo com o curador, o pesquisador Luiz Antônio Teixeira, a mostra é fruto do trabalho de divulgação em ciência e saúde realizado na Fiocruz. “Nosso objetivo é fazer com que as pessoas conheçam a doença, as formas de prevenção, os avanços que tivemos nos últimos anos e busquem mudanças. A gente teve também uma preocupação de trabalhar com o contexto cultural, para ficar uma coisa mais atrativa e menos árida”, contou.

Serviço

Exposição: “A Mulher e o Câncer de Mama no Brasil”.

Onde: Palácio Tiradentes: Rua Primeiro de Março, s/nº- Praça XV – Centro

Quando: 10 a 19 de outubro. De segunda a sábado, das 10h às 17h. Domingos e feriados, das 12 às 17h. Tel: (21) 2588 1186 / 2588 1393

O acesso para cadeirantes é feito pela Rua Dom Manuel, s/nº, Praça XV. Entrada franca.

Outubro Rosa é lançado na Alerj

Durante todo o mês, serão realizadas ações de conscientização e prevenção do câncer de mama. As atividades do Outubro Rosa, mês de conscientização e prevenção do câncer de mama, tiveram início na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) nesta terça-feira (03/10). “Nossa campanha tem o objetivo de chamar a atenção da sociedade, mulheres e homens, para essa doença perigosa, mas que pode ser combatida. Teremos uma exposição fotográfica e rodas de conversa com especialistas, abertos ao público”, diz a presidente da Comissão de Defesa de Direitos da Mulher, deputada Enfermeira Rejane (PCdoB).

Na cerimônia de abertura, balões cor de rosa foram soltos em frente ao Palácio Tiradentes, sede da Alerj, que também foi iluminado com a mesma cor. Houve apresentação da Banda do Corpo de Bombeiros. Os deputados Ana Paula Rechuan (PMDB), Márcia Jeovani (DEM), Tia Ju (PRB), Daniele Guerreiro (PMDB), André Ceciliano (PT), Carlos Osório (PSDB), Tio Carlos (SDD), Dr. Deodalto (DEM) e Nivaldo Mulim (PR) também participaram.

Segundo a coordenadora do Centro de Estudos e Pesquisa da União Brasileira de Mulheres, Ana Rosa, o câncer de mama é uma das maiores causas de morte de mulheres. “O Outubro Rosa tem um papel muito importante de alertar a população, porque é a demora na descoberta do câncer que leva às fatalidades. A prevenção é fundamental”, afirmou.

A deputada Ana Paula Rechuan, que é médica, lembra que a maior prevenção é a melhoria das condições de vida: não fumar, manter uma alimentação saudável e praticar atividades físicas. “Quando há a doença, o diagnóstico precoce é o que vai determinar a cura. Então, nós pedimos que cada mulher examine seus seios uma vez por mês. Se algum caroço ou outra anormalidade for detectada, ela tem que procurar ajuda médica imediatamente”, explica. “É importante ressaltar que raramente o câncer dói, então é necessário se tocar”, completa.

Exposição

No dia 10 de outubro, será inaugurada, no salão nobre, a exposição fotográfica A mulher e o câncer de mama no Brasil, com 21 painéis. A exposição foi produzida pelo Instituto Nacional de Câncer (INCA) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e poderá ser visitada até o dia 20 de outubro. A entrada é franca.

Escolas voltam a fazer visita guiada no Palácio Tiradentes

Alunos do 5° ano do Colégio de Aplicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (CAp-Uerj), no Rio Comprido, Zona Norte, foram os primeiros a participar da visita guiada ao Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), nesta quinta-feira (21/09), após reabertura do programa para os estudantes. A visita estava suspensa desde outubro de 2016, por conta das grades colocadas no entorno do Palácio, conforme recomendação da Secretaria de Estado de Segurança (Seseg).

A aluna G.G., de 10 anos, disse que ficou empolgada em presenciar um local que só conhecia através dos livros. “Nunca tinha vindo, estou achando tudo muito legal. Aprendemos mais aqui do que quando ficamos na sala de aula”, relatou a estudante. Ela também se encantou com a arquitetura do prédio. “Quero ser engenheira ou arquiteta, então estou amando demais a construção.”

A professora Cláudia Andrade contou que sempre leva as suas turmas para conhecer espaços como o Palácio. “É importante essa relação do que se lê com o patrimônio material que temos no país. É necessário que eles andem pelas ruas da nossa cidade e entendam os marcos históricos que temos. A Uerj está passando por um momento grave com a crise, e trazer as nossas crianças aqui é fundamental e muito simbólico para a nossa instituição”, disse.

Aberto ao público geral

No dia 11 de setembro o programa foi reaberto para todos os visitantes. Desde então, cerca de 300 pessoas já passaram pelo Palácio. A visita guiada conta com uma equipe de guias composta por estagiários dos cursos de História, Ciências Sociais, História da Arte e Letras. A visita pode ser assistida em inglês, espanhol e francês.

“O programa existe desde 1999 e foi criado com a objetivo de aproximar o público do Palácio. Queremos que os alunos conheçam não só a história, mas também a memória política e a arquitetura desse local”, pontuou a diretora-geral de Cultura da Alerj, Fernanda Figueiredo Nascimento.

História contada

O historiador Gilberto Catão explicou que a visita começa contando a história da carta de Pero Vaz de Caminha. “Esse é o primeiro documento escrito que temos do nosso país e ele é muito importante para essa casa de leis. Depois falamos um pouco do Brasil Colônia, da carta de defesa de Tiradentes e apresentamos pontos marcantes dessa Casa. Agora estamos trazendo uma visita mais articulada e plural para o público”, contextualizou Catão.

Para participar

A escola que tiver interesse deve ligar para o telefone (21) 2588–1251 e combinar dia e hora para a visita. Também é preciso que seja enviado um ofício para o email exposicaoalerj@gmail.com, até cinco dias antes, para confirmar a visita da escola. Para as instituições da rede pública também é disponibilizado um ônibus de 45 lugares para transportar os alunos e professores. O projeto também estende-se a grupos da terceira idade e programas ou projetos vinculados aos governos municipal, estadual e federal. O procedimento para o agendamento de visitas é o mesmo das escolas.

Serviço:

Endereço: Rua Primeiro de Março, s/n – Praça XV

Informações e marcação de visitas em grupo: (21) 2588-1251 ou 2588-1393

Horários: De segunda-feira a sábado das 10h às 17h e domingos e feriados das 12h às 17h

Palácio Tiradentes reabre as portas ao público com a exposição “Além Do Olhar”

O Palácio Tiradentes, sede da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), reabriu as atividades culturais nesta terça-feira (19/09), com a exposição “Além do Olhar”, do artista Rodrigo Andreàn. Os 35 quadros ficarão expostos até o dia 19 de outubro, com entrada franca.

São 35 telas expostas no salão nobre e no corredor do terceiro andar do prédio, apresentando uma retrospectiva dos últimos dez anos de trabalho do Andreàn. “Essa exposição se chama ‘Além do Olhar’ porque a minha obra é aberta, então eu crio e trabalho com linhas geométricas, orgânicas, fechando cor, imagens e figuras. O público me ajuda a construir a obra com as suas diferentes interpretações”, disse Rodrigo. “Vai muito além do que eu vejo ou do que a gente vê, é o que cada um espera na pintura. Gosto quando as pessoas param em frente a minha obra e começam a analisar e enxergar coisas que nem eu vi. Isso é muito gratificante para mim”, completou ele.

A assistente social Thamires Leite, de 23 anos, do Belém do Pará, aproveitou a abertura da exposição para conhecer o Palácio Tiradentes. Eu estava passando aqui em frente e me falaram da exposição, fiquei curiosa e quis ver”, afirmou. “Adorei os quadros dele, as cores fortes e as formas abstratas. O interior do palácio também é lindo. É minha primeira vez no Rio e com certeza vou voltar”, acrescentou.

Morador de Petrópolis e admirador de artes, o aposentado Mário Capeluto, de 74 anos, nunca tinha visto uma exposição de arte dentro do Palácio. “Este é um espaço que eu não tinha vindo ainda para ver exposição. Estou surpreso com essa abertura”, afirmou. “Está tudo muito bonito, e olha que eu já fui a muitas exposições”, brincou Mário.

Calendário cultural

Segundo a diretora do Departamento de Cultura, Fernanda Figueiredo, uma nova exposição diferente será aberta a cada mês. “Esta é a primeira do ano. No mês que vem, por exemplo, teremos uma ação em parceria com a Academia Brasileira de Letras (ABL) e vamos colocar vários livros nas escadas, marcando o início da primavera. Teremos todo mês alguma exposição, cada uma com a duração de 30 dias”, disse. “O objetivo é atrair o público e trazer a população para mais perto do Palácio”, finalizou.

Serviço

Exposição Além do Olhar

Onde: Palácio Tiradentes: Rua Primeiro de Março, s/nº– Praça XV – Centro. De segunda a sábado, de 10h às 17h. Domingos e feriados, de 12h às 17h. Acesso para cadeirantes pela Rua Dom Manuel, s/nº, Praça XV. Entrada franca.

Palácio Tiradentes reabre programação cultural

A mostra Além do Olhar, de Rodrigo Andriàn, pode ser vista de graça até 19 de outubro. O Palácio Tiradentes, sede da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) reabre, nesta terça-feira (19/09), às 18h, sua programação cultural. O salão nobre da Casa abrigará, até 19 de outubro, a exposição Além do Olhar, do artista plástico Rodrigo Andriàn. A entrada é franca.

A mostra, que reúne 35 telas, apresenta uma retrospectiva dos últimos dez anos de trabalho do carioca. Num estilo figurativo contemporâneo, com linhas geométricas e cores fortes, Andriàn chama a atenção para uma temática brasileira. Os quadros em acrílico sobre tela poderão ser vistos até o dia 19 de outubro.

“É um prestígio fazer parte deste momento desse momento de renovação, em que a cultura pode contar com um importante espaço como o Palácio Tiradentes. Os artistas precisam desse incentivo, de novos ambientes para a arte e para a cultura em nosso estado”, diz Andriàn.

O artista

Nascido na capital, Rodrigo mora em Petrópolis, na Região Serrana, há cinco anos. Formado em Administração, sempre manteve uma forte ligação com a pintura, o que o levou a concluir a faculdade de História da Arte.“Quando era criança, trocava a bola de futebol por um pedaço de papel e lápis de cor”, lembra.

Sua obra convida o público a redescobrir os elementos da composição e possibilita que os espectadores reinventem elementos e construam novos conceitos e idéias. Nesta mostra estão reunidas algumas séries como: Rio de Janeiro, Encontros, Pássaros Brasileiros e Rios Brasileiros.

Programe-se!

Quando: 19/09 (abertura às 18h) – entrada franca

O que: Exposição Além do Olhar

Onde: Palácio Tiradentes: Rua Primeiro de Março, s/nº– Praça XV – Centro. De segunda a sábado, de 10h às 17h. Domingos e feriados, de 12h às 17h. Acesso para cadeirantes pela Rua Dom Manuel, s/nº, Praça XV.

Música no Museu homenageia Jacob do Bandolim

Jacob do Bandolim foi o grande homenageado em apresentação do projeto Música no Museu, nesta quinta-feira (13/10), no salão nobre do Palácio Tiradentes, sede da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). As musicistas Daniela Spielmann (saxofone e flauta) e Sheila Zagury (piano) apresentaram clássicos da obra de Jacob, como Doce de Coco, Receita de Samba e Noites Cariocas. “É uma honra tocar nesse palácio histórico, a obra do Jacob do Bandolim também é histórica, e poder juntar as duas coisas é incrível. Hoje, apresentamos uma prévia do nosso projeto em homenagem ao centenário do Jacob, que vai ser lançado oficialmente no ano que vem”, disse Daniela. Jacob Pick Bittencourt, o Jacob do Bandolim, completaria cem anos em fevereiro de 2018.

O concerto deu continuidade à agenda dos meses de setembro e outubro do Música no Museu, que homenageia imortais da música brasileira e gênios internacionais. “Mais uma vez, ressaltamos a importância da produção musical brasileira num cenário espetacular e de beleza histórica, que é o salão nobre da Alerj. Destaque memorável para a obra de Jacob do Bandolim, um dos imortais da música brasileira que transcendeu em muito os limites da Rádio Ipanema, onde começou em 1937”, disse o coordenador do projeto, Sérgio Costa e Silva.

Música de graça

O projeto Música no Museu foi criado em 1997 e completa, em 2017, 20 anos de concertos gratuitos em mais de 40 museus, centros culturais e igrejas pelo Rio de Janeiro. Com o objetivo de incentivar a renovação da música popular brasileira e democratizar o acesso à cultura, convida músicos de todas as idades e quebra barreiras entre a música clássica e outros gêneros. O projeto também acontece em outras cidades brasileiras e até mesmo fora do país. Na Alerj, é promovido em parceria com a Subdiretoria-geral de Cultura. O Música no Museu já conquistou vários prêmios e vai receber mais um em novembro: foi o único projeto brasileiro a ganhar o prêmio Cultura Viva. A entrega será em Madri, na Espanha.

Instrumentistas fazem concerto no Palácio Tiradentes em homenagem a Jacob do Bandolim

Mais um concerto do projeto “Música no Museu” em parceria com a Subdiretoria-geral de Cultura da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) acontece nesta quinta-feira (13/10), às 18h, no Salão Nobre do Palácio Tiradentes. As musicistas Daniela Spielmann (saxofone e flauta) e Sheila Zagury (piano) apresentam um repertório que mistura seus últimos projetos com o novo show que reúne clássicos da obra de Jacob do Bandolim (1918-1969) – o “bamba” do choro e do samba-canção – e também composições de Pixinguinha.

O concerto dará continuidade à agenda do projeto que, no bimestre de setembro e outubro, homenageia os imortais da música brasileira e os gênios internacionais. “Mais uma vez ressaltamos a importância da produção musical brasileira num cenário espetacular e de beleza histórica, que é o salão nobre da Alerj. Destaque memorável para a obra de Jacob do Bandolim, um dos imortais da música brasileira que transcendeu em muito os limites da Rádio Ipanema, onde começou em 1937”, disse o coordenador do Projeto Música no Museu, Sérgio Costa e Silva.

Instrumentistas requisitadas por grandes nomes da música brasileira, Daniela Spiemann e Sheila Zagury apresentam um repertório com obras consagradas como “Doce de coco”, “Receita de samba” e “Noites cariocas” do mestre Jacob do Bandolim. “Acho uma honra tocar neste Palácio, rememorando o Rio antigo, seja através da música ou da arquitetura. São 90 anos de inauguração do Palácio Tiradentes e, Jacob, nosso homenageado, estaria completando 99 anos,” lembrou Daniela.

Serviço:

Palácio Tiradentes – Rua Primeiro de Marco s/nº – Praça XV – Centro

Dia 13 (quinta-feira) – 18h

Capacidade: 150 lugares

Haverá distribuição de senhas 20 minutos antes do início da apresentação na entrada principal do Palácio Tiradentes. O acesso para cadeirantes é feito pela Rua Dom Manuel, s/nº. A entrada é franca.