Cartilha infanto-juvenil e contadores história estão entre as inovações da visita guiada

 

A ideia de aprimorar a visita guiada às dependências de todo o Palácio Tiradentes tem como ponto de partida adaptar o roteiro da exposição permanente Palácio Tiradentes: Lugar de memória do parlamento brasileiro ao universo infanto-juvenil. “Aplicaremos  uma linguagem que se aproxime mais das aulas de História que são ministradas nas escola às crianças e adolescentes. Precisamos falar para e com esse público.”  A proposta é do subdiretor geral de Cultura da Alerj, Nelson Freitas, que se reuniu na quarta-feira (20/03), com os todos os funcionários do setor e os 20 monitores, todos estagiários,  que atuam como guias bilíngues na visitação ao palácio.

Músico e professor, nascido e criado em Nova Iguaçu, na Baixada fluminense, Freitas assumiu o cargo no dia 15 de fevereiro com uma agenda repleta de projetos.  O ex-presidente da Fundação de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj) e ex-secretário de Cultura de Nova Iguaçu (2003-2005) fez questão de lembrar que quando jovem tentou afastar a música e as artes de suas frentes de trabalho, mas não tem sucesso.

Como produtor musical, projetos como o Quinta Oito e Meia – com shows de MPB; Som na Praça, em Nilópolis e Paracambi Literário –  evento de artes e literatura levam sua assinatura.  “Nunca deixei de compor. Enquanto componho, produzo. Produzo quando componho. Tentei provar pra mim que poderia viver sem ser da arte, mas não deu certo”, concluiu.

Quis o destino que Nelson assumisse o setor Cultura da Alerj, no ano de mudanças, ano em que a sede do Poder legislativo será transferida para o prédio da Rua da Ajuda, nº 5. O que está previsto para o mês de outubro. Dessa forma, o palácio ficará destinado penas aos visitantes, e o plenário Brabosa Lima Sobrinho,  aos eventos protocolares e sócio-culturais.

”O Palácio Tiradentes está às vésperas de se transformar num “museu vivo”, a grande expectativa da presidência da Casa. Para que isso aconteça, estamos dispostos a trabalhar para transformá-lo em um espaço de excelência em entretenimento e cultura. Acho fundamental sempre poder surpreender o outro, positivamente, e trabalharemos para isso”, ressaltou ele.

Depois de ouvir a demanda de vários integrantes da equipe, a pauta de trabalho foi a reformulação e modernização dos painéis  expositores da visita guiada estão na lista de das prioridades. Outra iniciativa, a necessidade imediata de inventário dos bens culturais e artísticos, como as obras de artes e mobiliário. “Queremos que as esculturas, os quadros e toda a mobília façam parte da mostra permanente”, destacou.

Publicações

A produção de duas publicações, uma destinada aos professores e outra com narrativa infantojuvenil, despertou a atenção e a interação dos guias. Com a publicação de uma literatura específica, Freitas explicou que, novos monitores poderão surgir para a atividade de contadores de histórias.

Segundo ele, será um trato especial de linguagem, nos moldes de um conto, sem perder a essência da histórica.

Somando-se às inovações, o projeto de retorno da itinerância das exposições nas  escolas e demais municípios, fazem parte dos esforços  para ampliar  o número de visitantes e conhecedores do Palácio Tiradentes, sua importância arquitetônica e histórica, para o Rio de Janeiro e para o país.

 

 

Por Symone Munay

Leave Comment