GRUPO PIMENTA DO REINO ENCERRA PROJETO ‘PRIMAVERA DO FORRÓ’ NO PALÁCIO TIRADENTES

pimenta do reino SHOW

Com uma mistura de ritmos nordestinos, como embolada, maracatu, baião e xote, além do autêntico forró, o grupo Pimenta do Reino fechou a temporada de 2022 do projeto “Primavera do Forró”, na noite desta terça-feira (25/10), no Palácio Tiradentes. O espetáculo encerra a série de três apresentações: as outras foram do grupo Mulheres Cantam Nordeste e do tradicional Trio Nordestino.

O projeto é mais uma iniciativa da parceria bem-sucedida entre a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), por meio de sua Subdiretoria-Geral de Cultura, e a Fundação Anita Mantuano de Artes do Estado do Rio de Janeiro (Funarj). Ainda esta semana, o Palácio recebe três shows musicais, todos gratuitos: Mart’ Nália e Tony Garrido, nesta quarta e sexta-feira (dias 26 e 28), pelo projeto Sons da Independência, e Ronaldinho do Cavaquinho, na quinta (27), pelo projeto ‘Viva o Compositor Brasileiro’.

Comandado pelo pernambucano Daniel Guerra (voz e violão), juntamente com os músicos Júnior Domingues ( zabumba) e Eron Lima Domingues (sanfona), o Pimenta do Reino se destacou na música popular em 2005 nos bares da Baixada Fluminense e desde então se apresenta na região e em diversas cidades do Estado do Rio. Além do repertório com clássicos do forró, gravados por grandes nomes como Luiz Gonzaga, Zé Ramalho, Alceu Valença e Fagner, o grupo apresentou alguns trabalhos autorais.

“É proibido cochilar”, canção de Os Três do Nordeste, foi a senha para os primeiros casais se animarem para o arrasta-pé no quase centenário Plenário Barbosa Lima Sobrinho. O grupo trouxe muitos sucessos dançantes, como “O Canto da Ema”, “Estação da Luz”, “Táxi Lunar”, além de canções mais românticas para “dançar agarradinho”.

Um dos pontos altos foi a execucão de “Ai, Que Saudade D’Ocê”, composta em 1982 pelo paraibano Vital Farias e gravada por artistas como Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Fagner e regravada como tema das novelas Renascer (1993) e Império (2014) por Fábio Junior e Zeca Baleiro, respectivamente.

“Essa casa inspira leis, inspira sonhar, inspira liberdade, inspira esperança, inspira democracia”, disse Daniel, antes de apresentar “Anunciação”, letra de Alceu Valença escrita em 1983 e considerada por muitos um verdadeiro hino pelo fim da ditadura militar, nos primeiros anos de redemocratização do país.

Todas as apresentações musicais promovidas pela Alerj e Funarj no Palácio Tiradentes, a nova Casa da Democracia Brasileira, começam às 19 horas. A entrada é gratuita e a retirada dos ingressos começa às 18h no local – Rua Primeiro de Março, s/nº, Praça XV – Centro – Rio de Janeiro. A capacidade é de 200 lugares sentados.

Por Ascom/ALERJ

Leave Comment