SERVIDORES SERÃO CAPACITADOS PARA ATUAR NO RESTAURO DO PALÁCIO TIRADENTES

geral_ThiagoLontra_26_04_2022-09047 (1)

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), deputado André Ceciliano (PT), participou nesta terça-feira (26/04), da aula inaugural de instalação da Oficina-Escola de Conservação e Restauro do Palácio Tiradentes, no auditório do 21º andar, do novo prédio da ALERJ, na Rua da Ajuda nº 5.  “Esta primeira turma já está fazendo história. Estaremos resgatando cada espaço original do palácio, cada parte das peças ornamentais e dos móveis. Queremos reviver o nosso Palácio, recontando a história da democracia, criando um lugar de memória”, destaca o presidente.

O curso vai capacitar 60 profissionais da ALERJ e de instituições parceiras em técnicas de restauração e conservação, para que atuem na reforma e adequação do novo equipamento público de cultura. “O Palácio Tiradentes começa a ter sua missão com um desempenho museológico.  Cada peça restaurada será uma ferramenta de resgate de nossa memória. São os feitos, os fazeres que chamam e irão chamar a atenção da sociedade para a necessidade de preservação, conservação e prolongamento de um bem cultural”, ressalta o diretor de Cultura da ALERJ, Nelson Freitas,

Após a transferência das sessões plenárias para o Edifício Lucio Costa, na Rua da Ajuda, em julho 2021,  teve  início o processo de higienização e  manutenção do espaço. Os reparos tiveram início nos segundo e terceiro pavimentos do Palácio Tiradentes. Além da retirada das divisórias e fios elétricos, foram recuperadas pinturas artísticas, peças talhadas em madeira e catalogados 705 móveis e objetos históricos que decoram os cinco andares do edifício e que serão recuperados na Oficina-Escola.

“Ao longo dos 96 anos o palácio foi sendo adaptado para receber novas tecnologias e por isso surgiram muitas paredes de fibra de madeira, divisórias e fiações extras. Tudo isso precisou ser retirado em nossa primeira etapa de trabalho que está em andamento”, destacou a superintendente da Curadoria do Palácio Tiradentes, Maria Lúcia Jardim, que está à frente dos trabalhos em conjunto com a diretorias de Engenharia e Cultura da ALERJ. “Eu acredito no potencial do servidor público e observo que a diversidade será o diferencial das novas oficinas. O convívio e a troca do conhecimento vão permitir que todos aprendam com todos”, destaca Jardim.

A prioridade das vagas foi para colaboradores das áreas de manutenção, limpeza e refrigeração. São 30 alunos nos cursos de Mobiliário e mais 30 no de Metais, divididos em duas turmas. As aulas serão oferecidas em dois turnos para facilitar o ajustamento dos servidores ao curso e as suas atividades diárias. “Serão aulas totalmente práticas, como a de hoje em que os alunos visitaram o Salão Nobre (foto), já que essa vivência pedagógica é exatamente o que diferencia a oficina de um curso. Então, é mão na massa e vai até o final de agosto”, lembra a arquiteta Simone Algebaile, especialista em restauro e coordenadora da Oficina-Escola.

Inaugurado em 6 de maio de 1926, o Palácio Tiradentes está passando por obras de conservação que compreende em reparos na alvenaria, pintura e acabamentos de pisos, portas e janelas. As obras começaram na primeira quinzena de março nas salas 207, 302, 308, 310, 311 e 316. Elementos da ornamentação e as cúpulas de alguns lustres das salas 311 e 316, onde se realizavam as reuniões das comissões especiais, foram reparados como parte do piso parquet com a recomposição das peças e aplicação de verniz. Já o piso de mosaico francês artesanal, encaixado quadradinho por quadradinho, que está em todos os corredores, foi rejuntado e encerrado.

A previsão é reabrir as portas do Palácio Tiradentes para visitações públicas e gratuitas em setembro, quando se completam 230 anos da morte do alferes  Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes.

 

 

Por Symone Munay

Foto: Thiago Lontra

 

 

 

 

Leave Comment