Agende uma Visita

O agendamento para  grupos é através do e-mail:
cultura@alerj.rj.gov.br

Palácio Tiradentes

Rua Primeiro de Março, s/nº, Praça XV, Centro – RJ

Horários

De Segunda a Sábado, das 10h às 17h.
Tel: (21) 2588-1251/2588-1186.


Acesso para cadeirantes poderá ser feito pela Rua Dom Manuel, s/nº, atrás do palácio.

PALÁCIO TIRADENTES

Lugar de memória do parlamento brasileiro.

Visitar os corredores do Palácio Tiradentes é fazer um passeio pela tradição parlamentar brasileira. Graças à exposição permanente “Palácio Tiradentes: Lugar de Memória do Parlamento Brasileiro”, o público pode acompanhar passo a passo todos os acontecimentos importantes que marcaram a existência do Palácio. O visitante vai descobrir que não está apenas caminhando por um dos mais importantes marcos arquitetônicos da “Belle Époque” carioca, mas também pelo mais importante referencial da democracia brasileira.

A cada passo, a viagem pela história prossegue, conduzindo o público até a abertura da Assembleia Geral Legislativa do Império, em 1826, quando o edifício colonial onde funcionava a cadeia pública, mais tarde denominada de Cadeia Velha, foi escolhido para ser a sede da Câmara dos Deputados.

Durante o passeio é até possível sentir o clima solene e imaginar os deputados reunidos em frente ao imperador nessa ocasião memorável. Assim sendo, o tempo vai avançando até a Proclamação da República (15 nov 1889) e a instalação da nova Câmara dos Deputados, agora republicana, no prédio da Cadeia Velha.

Chega 1922, onde o visitante acompanha a demolição da cadeia velha e vê surgir a nova sede da Câmara dos Deputados: o Palácio Tiradentes, inaugurado em noite de gala do dia 06 de maio de 1926 e prestigiado com a visita das personalidades mais ilustres do país.

A história do Palácio vai se revelando em detalhes aos olhos do grupo, que assiste, em 1934, o lugar reafirmando a sua tradição democrática, quando abriga a Assembleia Nacional Constituinte.

O visitante é levado a assistir a democracia sofrer um terrível golpe, em 1937, com o fechamento do Palácio Tiradentes e da Câmara dos Deputados durante a ditadura do presidente Getúlio Vargas. Mas seguindo os painéis do corredor principal do palácio é possível acompanhar o fim da tirania Vargas e o retorno triunfal da soberania popular, com a instalação da Constituinte de 1946.  A partir desse ponto, o Palácio Tiradentes passa a ser a sede da Câmara dos Deputados, condição que mantém até a capital do país se mudar para Brasília.

O guia conduz o visitante até o surgimento do novo Estado do Rio de Janeiro, em 1975, com a fusão do estado da Guanabara, quando finalmente o Palácio Tiradentes se transforma na sede da Alerj, a Casa das leis e da cidadania do povo Fluminense.